Menino que teve braço amputado por tigre no Paraná ganha prótese

O caso, que teve repercussão nacional, comoveu Nelson Nolé, dono de uma empresa especializada em próteses ortopédicas de Sorocaba (SP)

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O ataque a Vrajamany aconteceu dia 30 de julho, em Cascavel
Reprodução/Youtube
O ataque a Vrajamany aconteceu dia 30 de julho, em Cascavel

Um empresário do interior de São Paulo doou uma próteses para o menino Vrajamany Rocha, de 11 anos, que teve o braço direito amputado após ser atacado por um tigre no zoológico de Cascavel, no Paraná, em julho deste ano.

O caso, que teve repercussão nacional, comoveu Nelson Nolé, dono de uma empresa especializada em próteses ortopédicas de Sorocaba. Segundo ele, como o jovem tem amputação total do braço, a prótese oferecida terá apenas fins estéticos.

Nolé ofereceu no ano passado, uma prótese para o limpador de vidros, David Santos de Souza, de 21 anos, que teve o baço direito amputado após ser atropelado na Avenida Paulista em março de 2013. O empresário garantiu que 30% da produção da fábrica é doado.  “Nós escolhemos pessoas que não têm condições de pagar pelas próteses”, explica.

O protético explica que a prótese do garoto Vrajamany será essencial para fazer o "balanceamento" do corpo que ficou prejudicado após a amputação do braço. "Ela tem como objetivo evitar problemas de coluna, não deixar que o ombro dele fique mais alto pela falta do braço e, por fim, ajudar no equilíbrio do corpo. A nossa intenção é fornecer a peça, que deve ser trocada todo ano, até que ele complete 18 anos”, concluiu Nolé.

Leia tudo sobre: DoaçãoprótesecriançaCascavelParanáSorocabaSão PauloBrasilSolidariedade