Por Rio/2016, Soares retomará dupla com Melo em 2015

Tenistas mineiros devem começar a planejar só no ano que vem a retomada da parceria para a disputa olímpica

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Luiz Pires/Vipcomm
undefined

De olho nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, os mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo vão retomar a parceria no circuito no próximo ano. Os dois tenistas querem recuperar o entrosamento dos tempos em que jogavam juntos toda semana para aumentar as chances de brigar pela medalha de ouro, diante da torcida brasileira, daqui a dois anos.

Soares e Melo formaram uma boa dupla no circuito profissional em 2010 e 2011. No entanto, decidiram buscar novos parceiros em comum acordo para dar sequências às suas carreiras de duplistas. Apesar da separação, a parceria continuou firme nos duelos da Copa Davis, como acontecerá no próximo fim de semana, no confronto entre Brasil e Espanha, em São Paulo.

Depois de jogarem juntos no Ginásio do Ibirapuera, eles devem começar a planejar a retomada da parceria no circuito. "A tendência é que em 2015 a gente comece a jogar alguns torneios juntos", prevê Soares, que atuou pela última vez com Melo no circuito em outubro de 2012, em Estocolmo, em uma das raras vezes em que jogaram juntos naquela temporada.

Com a proximidade da Olimpíada, Soares e Melo vão alternar competições em que jogarão juntos e outras em que vão atuar ao lado de suas parcerias habituais - o austríaco Alexander Peya, no caso de Soares, e o croata Ivan Dodig, dupla de Melo. Para que esta alternância dê certo no circuito, os brasileiros terão que fazer um planejamento exaustivo.

"É muito difícil fazer uma programação baseado somente na Olimpíada. A gente tem o ano inteiro que jogar pelo circuito, temos que manter o ranking, tem o nosso parceiro. A programação terá que ser muito bem feita. Vamos conversar para tentar encaixar um ou outro torneio que eu possa jogar com ele", explica Soares.

Diante dos obstáculos em manter duas duplas simultâneas no circuito, ele confia no entrosamento conquistado ao longo da carreira ao lado de Melo e na coincidência de morarem na mesma cidade. "Eu e o Marcelo estamos sempre juntos, viajamos juntos em quase 80% dos torneios. Moramos em Belo Horizonte, treinamos juntos quando estamos lá. Não precisamos nos preocupar tanto com isso."

O calendário de 2015 também poderá sofrer mudanças inesperadas por um motivo especial. Soares vai se tornar pai no ano que vem. Se tudo acontecer como o previsto, o primogênito do tenista nascerá no início de fevereiro, logo depois do fim do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada. Assim, ele teria tempo de competir em Melbourne até uma eventual final - nas duplas masculinas e mistas - e voltar ao Brasil para acompanhar o parto.

Caso contrário, poderá rever a programação do início da temporada. "Se nascer prematuro, eu desisto [do Grand Slam] porque a família vem em primeiro lugar. Mas eu vou torcer para que ele fique lá dentro, tranquilinho, para nascer na hora certa", diz o tenista, sem esconder o bom humor.

Depois do nascimento, Soares acredita que não terá problemas para dar sequência a sua temporada. Mas lamenta a possibilidade de perder momentos especiais nos primeiros meses de vida do filho. "Vou tentar ir dosando. Como tenista, vou continuar tendo os meus compromissos. Faz parte da minha profissão. Ainda bem que eu tenho uma esposa que entende muito bem isso. E uma família disposta a ajudar. Depois vou levar a minha esposa e meu filho comigo em alguns torneios para a saudade não ficar muito grande", projeta.

Leia tudo sobre: MARCELO MELOBRUNO SOARESTÊNISCOPA DAVIS