Gallo celebra desempenho de seleção olímpica no Catar

Treinador acredita que os amistosos com diferentes equipes asiáticas rendeu boas experiências para os jogadores da seleção olímpica

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Alexandre Gallo terá a missão de comandar a seleção no torneio internacional
CBF/Divulgação
Alexandre Gallo terá a missão de comandar a seleção no torneio internacional

O futebol mostrado pela seleção olímpica do Brasil nos três amistosos realizados no Catar agradou o técnico Alexandre Gallo. Mais do que os resultados (vitórias sobre as equipes sub-22 do Catar, por 4 a 0, e sub-23 da Palestina, 3 a 0, e empate com o time principal do Líbano, por 2 a 2), o treinador exaltou o comportamento de seus comandados.

Para ele, os jogadores tiveram mais uma boa chance de intensificar a preparação para a Olimpíada do Rio, grande chance do País de conquistar o inédito ouro no futebol diante de seus torcedores. "Foi muito importante esse período aqui no Catar. Já estamos trabalhando há mais de um ano com essa categoria, com um grupo de jogadores, e é sempre bom poder juntá-los para disputar jogos internacionais", disse Gallo.

Os amistosos diante de três seleções asiáticas também aumentou a bagagem da seleção, mostrando-lhe um estilo de jogo diferente do enfrentado diante de adversários mais tradicionais. Como a Olimpíada é disputada por equipes de todos os continentes, Gallo considerou a experiência extremamente válida.

"Estamos preparando um grupo para os Jogos Olímpicos. Ele precisam enfrentar adversários de todos os cantos do mundo, pois é isso que vamos encontrar na competição. Assim, eles tem a oportunidade de entender e observar como se joga futebol nos outros lugares e aprendem a lidar com as dificuldades de cada um", analisou.

Depois dos amistosos em Doha, os jogadores da seleção olímpica voltam para seus clubes, mas sabedores de que logo terão mais uma chance de vestir a camisa do País. Em outubro, durante o período de datas Fifa, a equipe voltará a atuar em amistosos que serão disputados no Brasil, com adversários ainda a serem definidos.

Leia tudo sobre: FUTEBOLSELEÇÃO OLÍMPICAALEXANDRE GALLO