Desconstrução de rival pode salvar Aécio, apostam caciques

Tanto Aloysio quanto Agripino defendem que marina Silva deve ser desconstruída a partir de posições contraditórias, como seu troca-troca partidário

iG Minas Gerais | Denise Motta |

ADRIANA SPACA
undefined

Oficialmente, a cúpula do PSDB não jogou a toalha, e a especulação de que Aécio Neves poderia desistir da briga eleitoral neste momento é totalmente descartada.  

Vice do senador mineiro na chapa presidencial, o paulista Aloysio Nunes diz acreditar em uma recuperação neste último mês de campanha.

“Não vai ter ajuste porque nossa campanha não surgiu do improviso. Surgiu de longa reflexão e teve construção no terreno político que delimitamos há muito tempo. Somos oposição aos governos Lula e Dilma. Temos propostas amadurecidas, e não há razão para mudar. Temos um mês para apresentar propostas para o eleitor”, avalia o cacique do PSDB, destacando acreditar na recuperação de Aécio nas pesquisas eleitorais de intenção de voto.

“Aécio Neves vai se concentrar em buscar apoios de eleitores de grandes centros urbanos até 5 de outubro”, diz o senador Agripino Maia (DEM), coordenador da campanha do PSDB ao Palácio do Planalto.

Tanto Aloysio quanto Agripino defendem que marina Silva deve ser desconstruída a partir de posições contraditórias, como seu troca-troca partidário.

“Ela combateu o Código Florestal, que permitiu normatizar necessidades agrícolas. De repente, ela faz uma conversão e aparece como rainha do agronegócio. Ela não tem solidez, e eu me permito duvidar de suas posturas”, critica o vice tucano. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave