PT, PMDB e PSDB lideram gastos na corrida a governador

Alexandre Padilha (PT-SP) já investiu R$ 35 mi e é campeão

iG Minas Gerais |

Corpo a corpo. Campeão de gastos, Alexandre Padilha  visitou ocupação Olga Benário, em São Paulo
Paulo Pinto/ Analítica
Corpo a corpo. Campeão de gastos, Alexandre Padilha visitou ocupação Olga Benário, em São Paulo

São Paulo. PT, PMDB e PSDB são os partidos que mais gastaram com as campanhas de candidatos a governador nestas eleições. Juntos, os três representam 69% de todas as despesas com candidaturas entre os 19 principais partidos. Os dados são da segunda prestação parcial de contas das campanhas, divulgada no sábado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Os principais 19 partidos – o PPS não declarou despesas – revelaram gastos de R$ 356,8 milhões nas candidaturas até o momento. A arrecadação total foi de R$ 277 milhões, e o déficit, R$ 79,7 milhões.

O campeão de despesas é o PT, que apresentou candidatura própria em 17 Estados. A cerca de um mês do primeiro turno, o partido já gastou R$ 101,6 milhões. O passivo soma R$ 36 milhões, já que, ao todo, as campanhas arrecadaram R$ 65,4 milhões.

Alexandre Padilha, em São Paulo, é o que mais gastou entre os petistas até agora, R$ 35 milhões, seguido por Delcídio Amaral (MS), com R$ 13 milhões. Em Minas Gerais, Fernando Pimentel gastou R$ 6,1 milhões.

O PMDB investiu R$ 86,6 milhões na candidatura de 17 de seus 18 postulantes ao cargo de governador – Zé Filho, no Piauí, não declarou gastos. O rombo nas contas atualmente é de R$ 11,9 milhões. Luiz Fernando Pezão, no Rio, lidera os gastos, de R$ 13,6 milhões. Na sequência está a candidatura de Paulo Skaf, em São Paulo (R$ 10,4 milhões).

O PSDB gastou nestas eleições para governador, até agora, R$ 59,5 milhões, pouco mais da metade do rival PT, ao lançar 13 candidaturas próprias. Lideram em despesas as campanhas de Geraldo Alckmin (R$ 13,8 milhões) e do mineiro Pimenta da Veiga (R$ 11,9 milhões).

SEM IMPACTO. O maior gasto na campanha nem sempre implica boa colocação. Com orçamento de R$ 11,9 milhões, Pimenta está em segundo lugar nas intenções de voto em Minas, segundo DataTempo, atrás de Pimentel, que gastou R$ 6,1 milhões. A tendência se repete em São Paulo. Com gasto de R$ 35 milhões, Padilha tinha 7% das intenções de voto no início deste mês, segundo o Datafolha. Líder nas pesquisas, Alckmin gastou R$ 13,8 milhões. Em segundo lugar, Skaf gastou R$ 10,4 milhões.

No Rio, o governador Pezão, cuja campanha já investiu R$ 13,6 milhões, tem 23% das intenções de voto. Está em empate técnico com Anthony Garotinho (PR), que soma 28% das preferências e R$ 3,6 milhões em gastos de campanha.

Mais baratas

Economia. O PCO gastou R$ 4.540 com quatro candidatos. O PSTU declarou gasto de R$ 82,3 mil com dez candidaturas. Por fim, o PV investiu R$ 417,6 mil em candidatos em São Paulo e no Pará.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave