Para viver intensamente

Aprovado na Lei Rouanet, média-metragem de João Avelar Lobato busca agora captar recursos para realização

iG Minas Gerais | fabiano fonseca |

João Avelar Lobato busca recursos para rodar o média “Sobrevida”
Arquivo pessoal
João Avelar Lobato busca recursos para rodar o média “Sobrevida”

Como uma pessoa que sobrevive a um acidente aéreo que matou todos os outros passageiros passa a viver? É a partir deste questionamento que o roteirista e diretor João Avelar Lobato, 34, desenvolve “Sobrevida”, projeto de média-metragem que será rodado em Belo Horizonte.

“O filme fala sobre a busca de Mauro (personagem principal) de uma resposta que explique por que ele sobreviveu ao desastre, e ele passa a viver intensamente. Não há um motivo do porquê de somente ele sobreviver. Essa busca gera uma frustração emocional no personagem, e ele se depara com aspectos sombrios de sua personalidade”, conta Lobato.

Escrito cerca de um ano e meio atrás, o roteiro do filme partiu de uma experiência aérea do próprio autor. “Vivo na Ásia, em Mianmar, e lá a aviação é muito precária. Em uma ocasião, peguei um voo complicado, com muita turbulência. Felizmente não aconteceu nada, mas veio a ideia do roteiro”, diz Lobato, mineiro de Belo Horizonte.

Mestre em estudos latino-americanos pela Universidade de Cambridge, João Lobato ressalta que o projeto de “Sobrevida”, além do próprio aspecto cinematográfico, apresenta uma questão inclusiva, na qual seis jovens de baixa renda de Belo Horizonte serão convidados para participar do filme como estagiários, recebendo treinamento em cinco áreas: produção de roteiro, direção, direção de fotografia, produção e atuação. “Estamos já conversando com ONGs para firmar parcerias e trazer esses jovens. A ideia é acompanhá-los durante todo o processo e direcioná-los a este mercado. Além disso, o filme também terá de um a dois personagens cadeirantes”, adianta.

Captação. Aprovado sem qualquer modificação na Lei do Audiovisual (Lei Rouanet), “Sobrevida” agora corre contra o tempo para captar recursos para a realização do projeto. Segundo Lobato, novembro é o prazo para a captação dos recursos. No total, o filme está orçado em R$ 100 mil. “Conseguimos a aprovação do projeto sem qualquer mudança. No parecer, o Ministério da Cultura ressalta a qualidade do projeto e, agora, estamos em um processo crucial, pois o tempo é curto”.

Como prevê a lei, as empresas e pessoas físicas interessadas em apoiar “Sobrevida” terão 100% de isenção no imposto de renda. “Qualquer pessoa pode participar”, diz Lobato.

Uma vez aprovado o projeto, João Avelar Lobato já desenvolve outras ações para a realização de “Sobrevida”. Atualmente, o realizador trabalha com a ideia de lançar o filme no início do ano que vem em festivais de cinema. “Ao longo deste mês de setembro, estamos cadastrando no blog pessoas para selecionar o elenco. Vamos selecionar nove atores. Em outubro, vamos realizar os ensaios. A ideia é rodar o filme em cinco semanas para, em janeiro de 2015, ficar somente na edição”, afirma ele.Cronograma.

Lobato conta que pretende lançar o filme em festivais, em um primeiro momento, para depois divulgá-lo na Ásia. “Depois, a ideia é tentar levar o filme para exibição na TV a cabo. Após isso, vamos disponibilizá-lo para download gratuito na internet. Será de um ano e meio a dois de divulgação”.

No blog do projeto (http://filmesobrevida.wordpress.com/), há mais informações sobre como apoiar “Sobrevida” e também como participar do processo de seleção de atores para o média-metragem.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave