Soares diz que espanhóis ainda são os favoritos na Davis

Adversário do Brasil nos playoffs da Copa Davis não terão Nadal e Ferrer, mas seguem fortes na opinião do tenista mineiro

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Até o momento, Bruno conquistou 34 vitórias e perdeu outras 16 partidas em 2014
DIVULGAÇÃO ASSESSORIA BRUNO SOARES
Até o momento, Bruno conquistou 34 vitórias e perdeu outras 16 partidas em 2014

Mesmo com os desfalques de Rafael Nadal e David Ferrer, a Espanha continua sendo a favorita no duelo contra o Brasil, pelos playoffs da Copa Davis, avalia Bruno Soares. De volta ao Brasil após conquistar o título de duplas mistas no US Open, o mineiro admite que o time europeu tem mais chances de vitória, mas não desanima diante do desafio que será enfrentado neste fim de semana, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

"Quando o sorteio saiu, foi aquele negócio de 'missão impossível', contra Nadal e Ferrer. Agora, mesmo com esse time, eles continuam favoritos. No papel, eles são uma equipe melhor que a nossa", afirmou, referindo-se aos atuais número dois e cinco do ranking. Nadal ficará de fora porque ainda se recupera de uma lesão no punho direito. Ferrer desistiu por conta do desgaste físico sofrido das últimas competições.

Sem eles, a Espanha terá Roberto Bautista Agut, 15.º do mundo, e Marcel Granollers, 45.º, nos jogos de simples. Nas duplas, os representantes espanhóis serão David Marrero e Marc López, cotados entre os melhores duplistas da atualidade. Do lado brasileiro, o tenista mais bem ranqueado em simples é Thomaz Bellucci, apenas o 83.º do ranking da ATP.

Nas duplas, Soares e Marcelo Melo são as maiores esperanças da equipe nacional em razão do grande desempenho apresentado nas últimas temporadas. Com parceiros estrangeiros, eles chegaram a finais de Grand Slam nos anos recentes e disputaram em 2013 o ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas da temporada. "Num dia bom a gente pode ganhar de qualquer um", avisou o tenista, 6.º do mundo no ranking de duplas e bicampeão de duplas mistas em Nova York - o primeiro título foi obtido em 2012.

O sólido desempenho nas últimas competições faz Soares minimizar a derrota que ambos sofreram para Marcel Granollers e Marc López na chave de duplas masculinas no US Open. Os espanhóis venceram Soares e o austríaco Alexander Peya nas quartas de final e a parceria de Melo, 5.º do ranking de duplas, com o croata Ivan Dodig na semifinal - na decisão foram superados pelos irmãos gêmeos norte-americanos Bob e Mike Bryan.

"Ganharam de mim e do Marcelo e foram para a final. Mas o mais importante é a gente fazer o nosso papel, se preparar da melhor forma possível e eu e Marcelo jogarmos o nosso melhor", ponderou o brasileiro, que ainda não sabe quem jogará na dupla espanhola. Em tese, a parceria seria formada por López e Marrero. No entanto, os rivais poderiam optar por manter Granollers e López jogando juntos, já que estão embalados no circuito.

Para não dar chances aos espanhóis, Soares prega trabalho intenso nesta semana para manter o nível apresentado no US Open. Depois de ser campeão em Nova York na última sexta, ele desembarcou em Belo Horizonte, onde mora, no sábado e chegou à São Paulo no domingo. Na manhã desta segunda, já estava treinando com a equipe completa do Brasil no saibro do ginásio do Ibirapuera, que receberá as partidas da Davis. "Vamos ter que trabalhar durante a semana para ficarmos bem afiados", pregou o brasileiro.

Leia tudo sobre: teniscopa davisbruno soares