Planalto quer cópia da delação

Dilma afirma que se houver pessoas do governo envolvidas nos desvios da Petrobras vai afastá-las

iG Minas Gerais |

Posição. Dilma Rousseff defendeu a presidente da Petrobras, Graça Foster, e afirmou que a empresa melhorou sua gestão neste período
Ichiro Guerra/PT - divulgação
Posição. Dilma Rousseff defendeu a presidente da Petrobras, Graça Foster, e afirmou que a empresa melhorou sua gestão neste período

Brasília. A presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), afirmou nesta segunda que o governo pediu à Polícia Federal e ao Ministério Público acesso ao depoimento de Paulo Roberto Costa e à investigação realizada pelo órgão sobre desvios na Petrobras. Em sabatina ao jornal “O Estado de S. Paulo”, a presidente afirmou que se houver “sangria” na estatal, ela já foi “estancada”. A petista disse ainda que estão “explorando eleitoralmente” o caso, mas que os adversários deviam “olhar seus telhados”.

“Determinei ao ministro da Justiça que fizesse um ofício à Polícia Federal pedindo que, se houver algum funcionário do governo federal envolvido, eu gostaria de ter acesso às informações par tomar todas as providências. É prudente saber primeiro se isso é verdade. Como a Polícia Federal respondeu que não pode, fiz um ofício para o Procurador Geral da República, pedindo ao Ministério Público que me informe para proceder com as providências cabíveis. E elas serão proporcionais ao comprometimento da pessoa. Se a pessoa estiver comprometida, é afastamento puro e simples do governo”, explicou.

Para a presidente, o envolvimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de abastecimento da empresa, “é estarrecedor”. “Em nenhum momento houve (desconfiança). É importante que a gente lembre que esse diretor era funcionário de carreira da Petrobras”.

“Se houve alguma coisa, e tudo indica que houve, eu posso te garantir que todas, vamos dizer assim, as sangrias que eventualmente pudessem existir estão estancadas”, afirmou Dilma.

Para Dilma, os esquemas de corrupção revelados ao longo dos 12 anos de governo do PT se deram porque a Polícia Federal e o Ministério Público ganharam autonomia para investigar.

“Hoje há (exploração eleitoreira do caso Petrobras). Até porque os dois candidatos não podem esquecer os seus telhados. Eu não vou ficar aqui falando do telhado de ninguém, mas eles devem olhar os seus telhados”, disse ao referir-se aos adversários Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB).

Dilma disse que há “muitos que esperam” que as denúncias reveladas atinjam sua campanha. Ela lembrou que nunca respondeu a processos por improbidade administrativa, mesmo tendo ocupado cargos no governo do Rio Grande do Sul e no governo federal.

The Economist Análise. A revista “The Economist” diz que Dilma pode não ter a mesma sorte de Lula, que saiu “ileso” do mensalão. “Lula teve um ano para sacudir a poeira, enquanto Dilma tem somente um mês”, avalia.

“Não vai haver tarifaço”, diz presidente São Paulo. A presidente Dilma Rousseff se negou a dizer qual o valor e quando será o próximo reajuste da gasolina. No entanto, disse que não vai haver um “tarifaço” após as eleições. Para justificar sua posição, a presidente comparou o aumento do combustível na refinaria com a inflação medida pelo IPCA. Segundo Dilma, o combustível teve um aumento real de cerca de 7%. A presidente disse levar em conta os custos de produção que são importados, mas afirmou que não há obrigação de atrelar o preço ao mercado internacional.

Ministros Saída. O titular da pasta de Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto foi exonerado do cargo, nesta segunda, para assumir a coordenação da campanha de Dilma. Retorno. O acordo entre Dilma e Rossetto é que ele retornará ao cargo depois do processo eleitoral. O ministro da Secretaria Geral, Gilberto Carvalho, saiu de férias, igualmente para se juntar ao comando da campanha petista. Negativa. Dilma negou que a entrada dos dois na coordenação seja para diminuir a influência de Rui Falcão na Campanha.

Argumentos “Afundam uma plataforma que custou US$ 1,5 bilhão. A refinaria Pasadena custou US$ 800 milhões. Alguém investigou o afundamento da plataforma? Não. Depois não foi investigado porque ninguém vai tocar para trás, vai tocar pra frente. Se a gente fosse investigar, falariam que a gente está fazendo vingança.” “Lobão deu as explicações para mim e por escrito, em notas. Ele nega tais fatos.” “Eu não quero o que dizem, quero fatos e comprovações. Também não quero atrapalhar a investigação. Considerando que não atrapalho a investigação, quero dados na medida em que vazou.” “Não tinha informação de malfeito, porque, se eu tivesse, teria tomado medida.” “Eu não falo em reajuste de gasolina nem de quanto que vai ser. Acho um absurdo, porque o que está por trás da proposta de tarifaço? Sabe quanto é que foi o aumento do combustível na refinaria? 31,5%. O IPCA está em uns 23%. O que eu tenho de cabeça é que teve um ganho real de 7%. Os que propõem um grande tarifaço na gasolina são os que atrelam o preço do petróleo ao valor internacional.” Dilma Rousseff (PT)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave