Seleção descansa antes da 2ª fase do Mundial de Vôlei

Jogadores festejam o bom momento da seleção e já projetam trajetória difícil na sequência do torneio

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Capitão da seleção brasileira garante seriedade em duelo com os Estados Unidos
Alexandre Arruda / CBV
Capitão da seleção brasileira garante seriedade em duelo com os Estados Unidos

Após encerrar a sua participação na primeira fase do Mundial de Vôlei invicta, com vitórias nos cinco jogos disputados, a seleção brasileira masculina tirou a tarde destas segunda-feira, na Polônia, para descansar, antes de começar a se preparar para os seus próximos compromissos no torneio. É o que explicou o levantador Bruno, que ainda não concentra as suas atenções no confronto de quarta-feira com a Bulgária, às 16h40 (horário de Brasília), em Katowice.

"Sem dúvida, a tarde vai ser para descansar e recuperar as energias. Vamos tentar arejar um pouco para tirar a cabeça dos jogos durante um tempinho. Esse é um campeonato longo, estressante e distrair é importante também. A noite temos uma reunião e, a partir deste momento, já estaremos com o foco total na Bulgária, que é nosso primeiro adversário”, explicou.

Pelo regulamento do Mundial, os quatro times classificados do Grupos B (do Brasil) e os quatro do C formam o Grupo F da segunda fase, com oito times. Como o Brasil já jogou contra três deles (Alemanha, Finlândia e Cuba), não precisa voltar a entrar em quadra contra esses rivais - o resultado da primeira fase segue valendo.

Desta forma, o Brasil, que fez 3 a 0 na Alemanha e na Finlândia e 3 a 1 em Cuba, tem a pontuação máxima possível (nove pontos). Agora, depois de encarar a Bulgária, a equipe terá pela frente a China (quinta-feira), o Canadá (sábado) e a Rússia (domingo), em jogos marcados sempre para as 16h40. E os três primeiros colocados da chave se classificam para a próxima fase.

O central Lucão fez um balanço da participação brasileira na fase inicial e já projetou o duelo com a Bulgária. "Tivemos um início muito bom, contra Alemanha, Tunísia e Finlândia, e os dois últimos jogos erramos um pouco demais. A Coreia defendeu muito e Cuba começou muito bem. Agora, contra a Bulgária, conseguimos jogar muito bem em um amistoso que fizemos recentemente. Mas é um adversário que vem muito forte no saque e temos que estar muito atentos”, afirmou.