Mesmo com jogo marcado para o Mineirão, Kalil volta a defender o Horto

Após nova vitória na Arena, dirigente alvinegro fez questão de reafirmar decisão de o Independência ser o estádio do Galo, pelo menos até o fim do seu mandato

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Galo, de Alexandre Kalil (foto), enfrentará o Corinthians, pelas quartas de final da Copa do Brasil, no Mineirão
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Galo, de Alexandre Kalil (foto), enfrentará o Corinthians, pelas quartas de final da Copa do Brasil, no Mineirão

Após pedido dos jogadores, o presidente do Atlético, Alexandre Kalil, preferiu mandar o jogo contra o Corinthians, pelas quartas de final da Copa do Brasil, para o Mineirão. Mas após mais uma vitória na Arena, o dirigente alvinegro fez questão de reafirmar a decisão de o Independência ser o estádio do Galo, pelo menos até o fim do seu mandato, em dezembro. "A hora que o Atlético quiser jogar lá. Eu já estou indo embora. Outro presidente pode virar e falar que não quer jogar no Horto, que prefere jogar no Mineirão. Vai lá no edital e joga. Acabou o assunto. O Mineirão não tem ordem. Só chegar lá e fazer o acordo. Se quiser fazer, é até uma briga boa. O Atlético não vai pagar nada. É muito baratinho. O Atlético vai lá a hora que quiser porque está no edital. Mas esse é um papo muito chato, recorrente. Joga (no Mineirão) a hora que quiser. Não resolvemos que vamos jogar no Mineirão (contra o Corinthians), vamos jogar é ponto. Está em nossas mãos". Questionado se o clube poderia estar perdendo dinheiro, já que somente com o jogo da final da Libertadores, contra o Olímpia, no ano passado, a renda bruta foi de cerca de 14 milhões de reais, o presidente afirmou que não vai para o Gigante da Pampulha. "O Atlético não pode jogar dinheiro fora. O Atlético tem (direito), mas não vai. O presidente fez uma promessa que não põe o pé no Mineirão enquanto for presidente. Vou lá só para ficar nas cadeiras mesmo", explicou. Com grande retrospecto no Horto, ele acredita que o time perde tecnicamente quando joga no Mineirão. "Eu acho que o Atlético perde um pouco sim. Mas eles (jogadores) que sabem, eles que puxaram jogo para lá. Eles vão ganhar com certeza". O presidente também confirmou que o preço dos ingressos para o jogo da Copa do Brasil será de R$ 50. Por fim, em tom polêmico, comentou os possíveis questionamentos quanto às datas dos jogos pelas quartas de final: "O Corinthians reclamou? Reclama com o Papa, eu não marco data", concluiu. 

Leia tudo sobre: atleticokaliljogomineiraocopa do brasil