Brasil exalta banco após 5ª vitória no Mundial de Vôlei

Em um domingo cheio de substituições na quadra, jogadores exaltam a qualidade do elenco na vitória de 3 sets a 1 sobre Cuba

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Equipe não terá Leandro Visotto, que se contundiu na semifinal
Divulgação/CBV
Equipe não terá Leandro Visotto, que se contundiu na semifinal

O Brasil sofreu para fazer 3 sets a 1 em Cuba, neste domingo, pela última rodada da primeira fase do Mundial Masculino de Vôlei, em Katowice (Polônia). Depois de perder o primeiro set e ver os cubanos dominando o segundo, a seleção brasileira só conseguiu a virada com as entradas de Bruno, Lipe e Visotto.

O levantador, titular, sofreu uma lesão na mão direita diante da Tunísia e, por isso, não enfrentou Finlândia e Coreia do Sul. Entrou em quadra no lugar de Rapha por conta da necessidade e, ao lado de Lipe (que substituiu Wallace), mudou a cara da partida.

“Hoje (domingo) pensei mais em tentar dar uma motivação no grupo do que ser perfeito tecnicamente. Paramos de errar e passamos a jogar com uma atitude mais agressiva. Naquele momento precisava de um choque e a minha entrada, junto com o Lipe, que também tem essa característica, conseguiu dar uma motivada no time e demos a volta por cima", analisou Bruno.

Além de Bruno e Lipe, Visotto também entrou no time, no lugar de Lucarelli, e ajudou a seleção a fechar a primeira fase com 100% de aproveitamento. "Sabemos que o Brasil tem 14 jogadores que podem entrar e virar uma partida”, comentou o capitão.

A opinião é compartilhada pelo pai e treinador Bernardinho. “O mais importante é a avaliação que tivemos de que um grupo de 14 jogadores pode nos levar a um ponto alto, onde nós queremos chegar, que é brigar pela medalha de ouro.”