'Não viemos só para ganhar da Argentina', diz Raulzinho

Na próxima quarta-feira, às 13h de Brasília, o Brasil joga contra a Sérvia, rival a quem já venceu na primeira fase

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Raulzinho marcou 21 pontos e teve apenas um arremesso errado depois de sair do banco
GASPAR NÓBREGA/ INOVAFOTO
Raulzinho marcou 21 pontos e teve apenas um arremesso errado depois de sair do banco

Aos 22 anos, Raulzinho já colocou seu nome na história do basquete brasileiro. Afinal, neste domingo, foi ele o herói da vitória sobre a Argentina que, enfim, colocou um fim na freguesia recente diante do maior rival. Foram 21 pontos e apenas um arremesso errado depois de sair do banco para substituir Marcelinho Huertas e mudar a história do jogo.

O armador formado no Minas, que recentemente assinou para trocar de time na Espanha (vai reforçar o UCAM Múrcia), porém, avisou que o Brasil quer muito mais do que vencer a Argentina. A equipe que agora encara a Sérvia, briga pelo pódio.

“A gente não veio aqui só para ganhar da Argentina. Nosso objetivo é muito maior. Hoje vamos curtir essa vitória que nos coloca entre as oito melhores do mundial. Mas a partir de amanhã (segunda) vamos pensar na Sérvia. É um momento de muita felicidade, e o grupo todo está de parabéns pela excelente apresentação”, disse Raulzinho.

Na próxima quarta-feira, às 13h de Brasília, o Brasil joga contra a Sérvia, rival a quem já venceu na primeira fase. Depois, se ganhar, faz semifinal do Mundial contra Espanha ou França. A moral é alta para as quartas de final depois da excelente atuação contra a Argentina.

“Fizemos uma aposta de jogar nossos jogadores mais altos contra os mais baixo do adversário. E felizmente isso deu resultado. A Sérvia é uma grande seleção e não podemos imaginar que ganharemos novamente. Precisamos jogar muito”, avalia Magnano.

O treinador argentino, que pôs uma pá de cal na geração que ele consagrou na seleção de seu país, evitou elogios pontuais à atuação de Raulzinho, mas exaltou o elenco brasileiro. Além do armador, Marquinhos e Nenê também saíram do banco e foram fundamentais. "Todos sabem da importância desse resultado. Nós temos 12 jogadores que estão preparados para entrar e jogar. E o Raulzinho é um deles".

“Foi um jogo duro em que conseguimos fazer um grande segundo tempo. A nossa defesa foi eficiente e tivemos tranquilidade para atacar. Todos os jogadores que entraram em quadra deram conta de cumprir sua missão tática. Talvez essa tenha sido a grande virtude de nossa equipe para chegar à vitória”, afirmou o pivô Tiago Splitter.

Leia tudo sobre: raulzinhobrasilargentinanaosojogoavançarmundialbasquete