Todos pelo fim do jejum de Jô

Companheiros prometem ajudar centroavante, mas destacam que ele vem jogando bem

iG Minas Gerais | Fernando Almeida e Thiago Prata |

Ansiedade. Jô (com a bola na mão) está há 17 jogos sem marcar
MOISE SILVA / O Tempo
Ansiedade. Jô (com a bola na mão) está há 17 jogos sem marcar

Ainda não é o ideal, mas, aos poucos, o time do Atlético vai evoluindo. Taticamente, houve uma melhora na última quinta-feira, contra o Palmeiras. Individualmente, vários atletas têm crescido de rendimento, como Jemerson, Rafael Carioca, Luan, dentre outros. No gol, Victor pode chegar a cinco partidas seguidas sem levar gols, o que seria sua maior série invicta debaixo das traves alvinegras. Mas, em meio a tantos pontos positivos, tem um fato negativo que só piora: o jejum de gols do atacante Jô.

Neste domingo, a partir das 16h, contra o Botafogo, no Independência, o centroavante carregará nas costas um tabu de 17 partidas sem balançar as redes. Antes de cada confronto, a confiança de que o jejum terminará. Mas, após os jogos, o tormento só aumenta.

Apesar de sempre salientar que tem contribuído com assistências e lutando muito em campo, Jô não está nada satisfeito com o tabu. E ainda bem que ele pensa assim, já que nenhum centroavante que se preze pode ficar contente por não marcar gols.

Nesta tarde, haverá mais um capítulo da saga “Jô: em busca do gol”. Resta saber se o fim será neste domingo ou se irá reservar novas cenas.

“Ainda vou correr mais atrás da bola para voltar a fazer gols. Não estou mal nas partidas, estou me dedicando, saindo da área, dando passes. Sei que uma hora serei recompensado”, destacou o avante alvinegro.

No entanto, como em outras ocasiões, o centroavante ressalta a importância de ajudar o time de todas as formas possíveis, independentemente se fizer gols. “Tenho que pensar em todo o time. Não é só pensar em mim, querer voltar a fazer gol. O Atlético é maior que tudo”, afirmou Jô.

E se o atacante pensa no time, os companheiros de equipe tentarão retribuir tal empenho com passes açucarados ao camisa 7. “A gente tenta ajudar o Jô, mas sabemos que o gol sairá no momento certo”, disse o meia-atacante Luan, que prevê uma parada torta na tarde deste domingo.

“Estamos tendo baixas, lesões. Será mais um jogo difícil, mas vamos entrar com uma equipe forte. Vamos tentar recuperar os pontos na tabela”, comentou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave