No ritmo da versatilidade

Silvio Guindane redescobre a dança como o stripper Paulo Henrique em “Vitória”, novela da Record

iG Minas Gerais | raquel rodrigues |

“O contato com a dança mudou a minha rotina de vida. A gente está chegando em uma unidade muito boa”
Luiza Dantas/CZN
“O contato com a dança mudou a minha rotina de vida. A gente está chegando em uma unidade muito boa”

Silvio Guindane é um artista versátil. Seja na televisão, teatro ou cinema, o ator acredita que o bom é estar em cena. E, apesar da presença constante nas três plataformas, pensa que fazer novela é um grande exercício para a profissão. Atualmente, tem se arriscado na dança para dar vida ao engenheiro Paulo Henrique, em “Vitória”, atual folhetim da Record.

Na história, o personagem perdeu o emprego, mas mente sobre a situação para a noiva Rosa, interpretada por Camila Avancini. Na tentativa de manter o padrão de vida, investe em diversas alternativas, mas acaba virando stripper. A nova faceta do engenheiro, inclusive, tem rendido sequências, no mínimo, inusitadas para Silvio. “Muitas vezes, beira a comédia de tão trágico que é o que acontece com meu personagem”, analisa. Além disso, a novela traz à tona questionamentos sobre como o negro é visto na sociedade através do papel do ator. “De certa forma, esse padrão de vida era o jeito que Paulo Henrique tinha para se inserir. Quando ele perde esse emprego, se vê no vazio total”, conta.

Sem ter contato direto com a dança desde a sua estreia no cinema com o filme “Como Nascem Os Anjos”, em 1995, Silvio fez uma preparação especial para o personagem. “O contato com a dança mudou a minha rotina de vida. A gente está chegando em uma unidade muito boa”, anima-se. As aulas começaram três meses antes de iniciarem as gravações. E continuam até agora com a professora Mônica Torreão, que prepara as coreografias dos strippers. Paulo Henrique e seus amigos Tadeu e Caíque, vividos respectivamente por Leonardo Vieira e Heitor Martinez, arriscam os primeiros passos sem saber dançar. Apesar de, inicialmente, estarem fora do ritmo, eles vão se tornar grandes dançarinos do Layza’s Bar ao longo da trama. “Vamos surpreender e divertir com o nosso pé de valsa”, imagina Silvio Guindane.

Preferências

Ator: José Dumont Atriz: Marília Pêra Vilão marcante: Joana Fomm como Perpétua, em “Tieta”, de 1989 Filme: “Poderoso Chefão”, de Francis Ford Coppola Livro: Qualquer livro do Luiz Alfredo Garcia Rosa Música: Gilberto Gil Humorista: Pedro Cardoso Se não fosse ator, o que seria: Escritor Novela preferida: “Vitória” Diretor: Alexandre Avancini A que gosta de assistir na televisão: Séries norte-americanas como “House of Cards”, “Homeland”, “24 Horas” e “Breaking Bad”

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave