Denúncia é grave, mas exige provas

Durante oito anos, os governos Lula e Dilma confiaram a Costa um cargo estratégico e de confiança na maior empresa da América Latina

iG Minas Gerais | Murilo Rocha |

O ex-diretor da Petrobras não é uma pessoa das mais confiáveis, como demonstrou investigação da PF, na qual Paulo Roberto Costa responde por lavagem de dinheiro e outros crimes de corrupção dentro da estatal. No entanto, sua denúncia, citando o nome de mais de 60 políticos em um esquema de propina, deve ser investigada. Durante oito anos, os governos Lula e Dilma confiaram a Costa um cargo estratégico e de confiança na maior empresa da América Latina. Por isso, não há como ignorar seus depoimentos, mesmo tendo sido feitos para se beneficiar da delação premiada, tendo a pena reduzida. Para além da acusação, a qual ainda necessita de provas, chama a atenção o fato do vazamento por pelo menos três veículos de comunicação de parte da denúncia do ex-diretor. Tudo isso a um mês das eleições e de forma seletiva, a atingir dois dos três principais presidenciáveis. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave