Samsung une os celulares aos óculos de realidade virtual

A IFA, na Alemanha, apresenta as maiores novidades em eletrônicos; tablets e celulares dominam

iG Minas Gerais |

Cara de futuro. Apresentadora de TV Rachel Riley experimenta o Gear VR associado ao Galaxy Note 4
Markus Schreiber
Cara de futuro. Apresentadora de TV Rachel Riley experimenta o Gear VR associado ao Galaxy Note 4

BERLIM, ALEMANHA. A Samsung entrou em mais um segmento do momento, ao revelar os óculos de realidade virtual Gear VR. O acessório foi desenvolvido com a Oculus, empresa pela qual o Facebook pagou US$ 2 bilhões no último mês de julho, e que já criou outro modelo: Rift. O Gear VR, que foi apresentado na IFA, uma das maiores feiras de eletrônicos do mundo, aberta ao público ontem, funciona como um acessório para o Galaxy Note 4.  

O smartphone é acoplado ao VR, e produz, segunda a empresa, a sensação de estar a 2 metros de uma tela de 175 polegadas. O ângulo de visão é de 96 graus, e o produto deve ser lançado ainda neste ano. Com o aparelho, as pessoas poderão, por exemplo, ver filmes ou jogar videogame.

A investida em um setor novo é reflexo da alta concorrência que a Samsung enfrenta no ramo dos celulares – a empresa lançou dúvidas sobre o próprio crescimento durante a segunda metade de 2014. O principal motivo seria a ascensão de fabricantes chinesas como a Huawei e a Xiaomi, que sangram a sul-coreana no mercado de aparelhos baratos.

John Carmack, um dos principais nomes da Oculus, esteve na apresentação para falar da importância da tela para converter movimentos da vida real para movimentos no mundo virtual. O Note 4 também conta com um sensor de precisão para garantir uma boa experiência com o mundo virtual.

A entrada da Samsung também deve significar investimentos para todo o setor de realidade virtual. A companhia anunciou parcerias com estúdios de filmes, games e empresas de entretenimento para produção de conteúdo. A Samsung é a primeira grande fabricante com foco no consumidor final a ter um óculos de realidade virtual.

Vidro curvo

Mais espaço. O Galaxy Note Edge mostra um design inédito: o vidro do lado direito é curvado, criando uma espécie de tela auxiliar que exibe a barra de apps favoritos, entre outros itens.

Microsoft provoca rivais com preço e câmera de novos Lumia Berlim.A Microsoft lançou três novos celulares da linha Lumia durante a feira IFA, na Alemanha. Para apresentar o Lumia 830, o Lumia 735 e o Lumia 730, a companhia invocou o mesmo mantra entoado nos últimos anos pela Nokia, fabricante de telefones pela qual a Microsoft pagou US$ 7,2 bilhões há um ano. Exaltou o preço – o 830 custará, na Europa, 35% menos do que o rival da norte-americana Apple e 25% menos do que o da coreana Samsung – e suas qualidades fotográficas. Teve até imagens dos concorrentes no telão. Na apresentação, o vice-presidente de vendas e marketing da Microsoft Devices, Chris Weber, comparou os novos aparelhos com o iPhone 5S e o Galaxy S4. A Microsoft diz que os novos Lumia são mais rápidos para ativar a câmera, vídeos em 4K e simplificam a captura com flash dinâmico. Ele ainda mostrou o Lumia Selfie, aplicativo que permite melhorias para as fotos tiradas com a câmera frontal.

Novos laptops Toshiba e Lenovo revelaram laptops novos na IFA. A Lenovo investiu no mercado de gamers, com o Y70 (o maior da marca, com tela de 17,3 polegadas touch) e placa da linha Nvidia GTX para gráficos. A japonesa Toshiba lançou um chromebook prateado, ao estilo Macbook Air, com tela de 13,3 polegadas.

Processador A Intel apresentou seu novo processador com arquitetura de apenas 14 nanômetros – o anterior tinha 22. Chamada de Core M, a CPU foi criada pensando no mercado de computadores conversíveis e cada vez mais finos. A novidade permite que fabricantes criem aparelhos sem cooler com espessura de até 9mm.

Android na TV A Philips adotará o Android como sistema de suas TVs inteligentes. A empresa é uma das fundadoras da Smart TV Alliance, associação que deseja trazer um padrão para a criação de apps. “Optamos pelo Android, principalmente, pelo grande catálogo de games”, explica Luis Bianchi, da TPV, chinesa que controla a marca Philips.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave