Ex-diretor da Petrobras revela participação de políticos

Paulo Roberto Costa citou em depoimento à PF o envolvimento de ao menos 32 deputados e senadores, um governador e cinco partidos políticos em mega-esquema

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás, revelou a participação de ao menos 32 deputados e senadores, um governador e cinco partidos políticos em esquema de lavagem de dinheiro. Os envolvidos recebiam comissão de 3% em cima dos contratos da estatal petrolífera.

A lista foi citada por Paulo Roberto durante depoimento prestado à Polícia Federal, em Curitiba, desde a última sexta-feira (29). O ex-diretor é um dos acusados de participação no esquema de lavagem de dinheiro, que vem sendo investigado na Operação Lava-Jato.

O ex-executivo decidiu delatar o esquema que, segundo ele, envolvia funcionários do terceiro escalão até a cúpula da Petrobrás, após entrar em acordo com a Polícia Federal, definindo benefícios de diminuição de pena.

A chamada delação premiada permite que Paulo Roberto seja liberado no final dos depoimentos e tenha uma pena consideravelmente inferior aos possíveis 50 anos de prisão que ele pegaria, caso não houvesse esse acordo. A única restrição é de que o ex-diretor fica impossibilitado de sair de casa durante um ano e deve permanecer esse tempo com uma tornozeleira eletrônica.

Paulo Roberto citou também nomes de grandes empreiteiras do país que eram beneficiadas em contratos. Como o depoimento ainda está em andamento é possível que o número dos envolvidos aumente ainda mais. As informações foram divulgadas pelo portal "Estadão".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave