Viagem dos sonhos com orçamento real

Baixe gratuitamente a revista digital para iPads da Sempre Editora; nesta edição, a publicação fala sobre os 85 anos do Mercado Central e técnicas de yoga

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

undefined

CAPA

Algumas pessoas sabem exatamente como realizar a viagem dos sonhos sem ter que, necessariamente, estar com muito dinheiro. Leia um trecho da reportagem de capa da revista digital O TEMPO LIVRE #36, que mostra que, mesmo com um orçamento limitado, é possível conhecer novos lugares em todo o mundo:

Sempre que pensamos em uma viagem, logo começa também a contabilidade do custo de ficar longe de casa. Mas alguns ‘especialistas’ quando o assunto é viajar defendem que é um engano pensar que para fazer as malas e conhecer novos países, novas culturas e novas pessoas é preciso estar com o bolso cheio. Na verdade, basta um pouco de criatividade e algumas dicas de especialistas para se perceber que é possível fazer uma boa viagem com pouco dinheiro. Para isso, é preciso deixar o luxo de lado e se programar para o passeio com antecedência. Uma viagem mais barata pode até mesmo ser sinônimo de uma imersão maior na cultura do lugar explorado e de diversão em dobro. Para quem está mesmo com pouco dinheiro é possível ainda trocar trabalho por hospedagem em alguns hostels e fazendas no Brasil e em vários outros países.

Curtiu? Então leia a matéria na íntegra na publicação digital gratuita disponível na App Store. Conheça abaixo outros assuntos abordados na edição #36 Clique aqui para baixar gratuitamente a revista O TEMPO LIVRE

TENDÊNCIA

A yoga, prática para aqueles que procuram relaxamento, conta hoje com modalidades que fogem do convencional: do personalizado à técnica que se vale de acrobacias. Viver num grande centro urbano, em meio ao caos do trânsito, exige momentos para meditação e relaxamento. O estresse cotidiano leva pessoas a procurarem tratamentos, convencionais ou alternativos, com o intuito de conter o esgotamento das energias. Para restaurar a vitalidade do corpo e o equilíbrio da mente, as pessoas têm recorrido cada vez mais a yoga, prática meditativa milenar.

MEU GUIA

Projetado no centro de Belo Horizonte, com o intuito de abastecer a cidade, o Mercado Central ganhou, ao longo dos anos, status de ponto turístico, por reunir produtos típicos de Minas Gerais. Perto de completar 85 anos, o centro comercial é, hoje, um local onde as pessoas vivenciam um clima interiorano, com mais tempo para feirantes e clientes construírem relações de amizade. PERFIL

Em meio aos grandes comércios, um pequeno armazém ainda sobrevive, vendendo quase de tudo e distribuindo simpatia. Pelo menos é assim no pequeno armazém de José Alves dos Santos, 84, o Zé Totó, como é conhecido, no bairro Aparecida, região Noroeste de Belo Horizonte. Nossa repórter conversou com o comerciante e descobriu, nas prateleiras do mercadinho, histórias estocadas, contadas nesta edição da revista. 

GASTRÔ

Pode ser em um carrinho no meio da rua, improvisado, ou até mesmo em lojas mais sofisticadas. Pode ser de carne ou vegetariano, o importante é estar bem picadinho e no espeto. Em Belo Horizonte e no Brasil, os espetinhos já são um sucesso. Seja enquanto espera no ponto de ônibus ou em uma reunião com os amigos, o espeto é uma ótima opção de lanche rápido e tira-gosto. Além do pão de alho no espeto e dos queijos há também a opção com legumes como pimentão e tomate e até mesmo alguns doces, para quem não quer ou não gosta de carne. * Conteúdo semanal exclusivo para iPads

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave