Partindo em busca de si mesmo

O designer gráfico contagense, Natan Barcelos, largou a estabilidade profissional e pessoal e, em quatro meses, mudou-se para Dublin – capital da República da Irlanda

iG Minas Gerais |

Animado. 
Natan está se adaptando à culinária e ao clima de Dublin, mas já fez amigos na nova cidade.
Arquivo pessoal
Animado. Natan está se adaptando à culinária e ao clima de Dublin, mas já fez amigos na nova cidade.

“Tatuei um balão em minha pele, e agora ele vai voar. Vou embora imensamente agradecido por tudo que aprendi, pelo carinho que recebi, pelas amizades que fiz aqui. Estou partindo em busca de uma experiência de vida nova! Uma vida nova, em um velho mundo. A caça de felicidade, feliz cidade, Dublin é a cidade”. Esse é um trecho da carta de despedida do talentoso designer gráfico contagense, Natan Barcelos Freitas – que há pouco mais de seis meses foi embora do país em busca de novos horizontes. “Estava cansado da zona de conforto que estava vivendo. Tinha um bom emprego, morava em um bom apartamento em um bairro nobre de BH, levava uma vida estável, mas sentia que ainda faltava algo”, conta.

Segundo ele, o processo de mudança levou cerca de quatro meses. “Decidi ir embora dois dias depois que voltei de férias, tive um pequeno bate-boca com meu chefe e resolvi jogar tudo para o alto. Na mesma semana negociei minha saída – que demorou três meses. Durante esse tempo, vendi algumas coisas que tinha, doei outras, entreguei meu apartamento e parti”, recorda.

Natan nasceu em Contagem, morou em diversos bairros e estudou em muitas escolas da cidade. “Não tenho muitas lembranças da infância, mas lembro que foi um período muito simples, de muitas brincadeiras nas ruas. Passava muito tempo com amigos e vizinhos em casa”, diz.

Já na adolescência, ele esteve bastante presente na cena cultural do município promovendo eventos artísticos. “Minha adolescência foi culturalmente muito rica, vivia no bairro Amazonas, onde tive a honra, sorte, de conhecer pessoas superinteressantes com as quais tenho contato até hoje. A ideia dos eventos era sempre reunir artistas da cena independente de renome nacional e internacional para que, em uma construção conjunta, onde músicos, artistas plásticos, realizadores multimídia, poetas, atores e artistas circenses apresentassem suas artes para o público em um espaço aberto para debates e manifestações criativas”.

Vida nova

Mesmo morando em Dublin há poucos meses, Natan já fez amizade com pessoas de diversos lugares. “É uma cidade onde se encontra pessoas de todo o mundo. Por aqui fiz amigos da Turquia, Coreia do Norte, Arábia Saudita, México, Itália, França, sem falar que também conheci brasileiros de diferentes Estados”, conta.

Encantado com a mistura entre o passado tradicional e o moderno nas construções e nos costumes do povo irish, ele está animado também com as novas experiências profissionais. “É uma história que está apenas começando. Estou muito feliz em aprender uma nova língua e sinto que meu trabalho está cada dia mais rico e com referências mais plurais”.

Porém, o contagense ainda está em fase de adaptação com o clima frio da cidade e os hábitos alimentares que são bastante diferentes.

De olho

Embora esteja há milhas distante do Brasil, Natan segue acompanhando o processo eleitoral no país com um certo receio. “Para ser sincero, sempre bate uma certa angústia quando penso que o povo terá que escolher o menos pior”, desabafa.

Pedalando

Há anos, o designer aderiu à bicicleta como principal meio de locomoção e, quando questionado sobre o que traria “na mala” para Contagem, Natan é bastante específico. “Levaria para a cidade projetos de mobilidade urbana e de valorização de arte e espaços comuns”, diz.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave