Ideb será divulgado em meio a polêmica sobre atraso e eleição

Índice que avalia educação básica será, enfim, conhecido nesta sexta após demora de 20 dias

iG Minas Gerais |

Depois do café. Dilma conversa com o matemático Artur Ávila, ganhador da Medalha Fields
Antonio Cruz/Agência Brasil)
Depois do café. Dilma conversa com o matemático Artur Ávila, ganhador da Medalha Fields

BRASÍLIA. Em meio a suspeitas de que o governo federal está retardando a divulgação dos números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) por conta do período eleitoral, o ministro da Educação, Henrique Paim, reconheceu, na tarde desta quinta, em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, que o indicador “coloca em xeque” a gestão de Estados e municípios na área.  

“Esse governo é um governo que tem um DNA voltado para a questão da avaliação e para a divulgação de dados. Temos muita tranquilidade. Vamos fazer isso com a maior segurança, porque, na verdade, o resultado do Ideb coloca em xeque a gestão dos Estados e dos municípios, por isso a gente tem todo o cuidado em julgar os recursos e estar com os dados consolidados corretamente para divulgar”, justificou.

Segundo Paim, o governo federal recebeu muitos pedidos de recursos dos Estados e municípios e decidiu avaliar os questionamentos antes de divulgar o índice, que é o principal indicador da qualidade do ensino no país.

Paim disse que a divulgação de resultados sem a revisão pedida pode comprometer os gestores. Ele participou de café da manhã no Palácio da Alvorada com a presidente Dilma Rousseff e o matemático Artur Ávila, ganhador da Medalha Fields.

Em nota, a Casa Civil comunicou que é “totalmente improcedente” a informação divulgada de que já teria recebido o resultado do Ideb. “A Casa Civil não recebe, analisa ou divulga os dados do Ideb, sendo esta uma atribuição exclusiva do Ministério da Educação e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)”, informou, na nota.

Questionado sobre a possibilidade de ser chamado pela Comissão de Educação do Senado para explicar o atraso na divulgação do Ideb, Paim afirmou que iria ao Congresso prestar esclarecimentos “com a maior satisfação”.

Divulgação. Após a polêmica, o governo federal informou que vai apresentar nesta sexta os resultados do Ideb. Depois de um atraso quase 20 dias em relação à última divulgação, em agosto de 2012, surgiram suspeitas de que os dados estariam sendo guardados para depois das eleições, em outubro. O Ministério da Educação nega.

O Ideb é realizado a cada dois anos, e seus resultados, apresentados no ano seguinte. Os dados que serão revelados, em princípio, hoje, foram colhidos em provas feitas em todas as escolas de ensino fundamental e uma amostra do ensino médio em 2013.

Segundo a reportagem apurou, a demora na divulgação do indicador levantou suspeitas entre servidores do Inep, que acreditam que o período de campanha eleitoral possa estar afetando a decisão do governo de tornar públicos os dados.

Greve na USP Defesa. A Associação Juízes para a Democracia condenou o que chama de “atentados ao direito de greve na Universidade de São Paulo”. Na última quarta-feira, a paralisação na maior universidade do país chegou a cem dias.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave