Lego vira a maior fabricante de brinquedos do mundo

As vendas da Lego subiram 15% no primeiro semestre deste ano, para US$ 2,03 bilhões, impulsionadas pelo sucesso do filme "Uma Aventura Lego"

iG Minas Gerais | Da redação |

Jogo mais conhecido e popular do mundo não envelhece com a idade, encanta gerações, invade o universo da educação e se revela mais atual que nunca
RODRIGO CLEMENTE - 14.2.2008
Jogo mais conhecido e popular do mundo não envelhece com a idade, encanta gerações, invade o universo da educação e se revela mais atual que nunca

A Lego superou a Mattel e se tornou a maior fabricante de brinquedos do mundo. A empresa dinamarquesa já era líder em lucratividade, mas as receitas da rival, dona de marcas como Barbie e Hot Wheels, eram superiores até o ano passado.

As vendas da Lego subiram 15% no primeiro semestre deste ano, para US$ 2,03 bilhões, impulsionadas pelo sucesso do filme "Uma Aventura Lego", lançado no Brasil em fevereiro. Já as receitas da Mattel caíram 7%, para US$ 2,01 bilhões.

O crescimento da Lego ocorre em momento difícil para os fabricantes de brinquedos. Com a popularização dos smartphones e tablets, parte dos consumidores mirins tem preferido se divertir com aplicativos.

Para reconquistar os jovens, a Lego vem se unindo às franquias de personagens populares, como os das cinesséries Star Wars e Harry Potter, ao lançar produtos.

A tática levou a companhia a investir no próprio filme que, por sua vez, ajudou a aumentar o lucro operacional em 12%, para US$ 636 milhões. A Mattel, por sua vez, teve ganhos de US$ 7,2 milhões no primeiro semestre.

O lucro foi impactado pela aquisição da Mega Brands, rival da Lego em blocos de montar, por US$ 460 milhões.

"Tivemos um resultado muito satisfatório, que mostra nosso crescimento significativo nos últimos anos em um ambiente econômico difícil", afirmou o presidente da Lego, Jørgen Vig Knudstorp, em mensagem a investidores no site da empresa.

Apesar do desempenho positivo, o vice-presidente da empresa, John Goodwin, está cauteloso. "Ainda é cedo para afirmar que esta boa performance refletirá no resultado anual", afirma. O empresário destaca que as semanas que antecedem o Natal são cruciais para as vendas.

A Lego agora quer crescer no mercado asiático. Neste ano, a empresa abriu fábrica e escritório na China, onde suas vendas subiram 50% no primeiro semestre do ano.

Leia tudo sobre: legobrinquedossucesso