Versátil, Etiene se firma como melhor nadadora do País

Bem sucedida no nada costas, pernambucana mostrou talento também no borboleta e livre, ainda arrematando novos recordes

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Etiene retorna ao Brasil nesta terça-feira para continuar os treinamentos
SATIRO SODRE - CBDA
Etiene retorna ao Brasil nesta terça-feira para continuar os treinamentos

Etiene Medeiros iniciou sua participação no Troféu José Finkel de natação como a especialista em nado costas, já com um bom currículo aos 23 anos de idade. A nadadora pernambucana foi vice-campeã nos 50m costas no Mundial Júnior de Monterrey, no México, em 2008, e quarta colocada na mesma prova no Mundial de Barcelona, no ano passado.

Mas em Guaratinguetá (SP), mostrou que é mais do que uma costista: venceu os 100m borboleta com o terceiro melhor tempo do ano no mundo em piscina curta e foi primeira colocada nos 50m livre com a quarta melhor marca do mundo na temporada. Em ambas as provas, ela estabeleceu novos recordes sul-americanos, deixando para trás Flávia Delaroli, que foi finalista olímpica. Em sua especialidade (ou antiga especialidade), Etiene também brilhou: ela bateu recordes continentais de Fabíola Molina nos 50m e 100m costas.

"Eu estou me surpreendendo a cada dia. Vou tentar descobrir a melhor forma de encaixar essas provas na minha programação no Mundial (de piscina curta, em Doha, no Catar, em dezembro)", comenta a pernambucana.

A empreitada é bastante difícil. As três provas serão disputadas no mesmo dia em Doha. O treinador de Etiene e coordenador técnico da natação feminina brasileira, Fernando Vanzella, deixa nas entrelinhas que não quer que o cansaço mine as chances nos 50m costas. "Mesmo não sendo olímpica, é uma prova que não podemos descartar, porque nela a Etiene tem a chance de ser a primeira brasileira medalhista num Mundial".

Além disso, se disputar os 100m borboleta, Etiene vai tirar Daynara de Paula (sua companheira de Sesi-SP) ou Daiene Dias (Botafogo) do Mundial. As duas empataram em segundo lugar, com 57s64, e o Brasil só pode enviar duas representantes em cada prova. Se Etiene quiser participar dessa prova, a outra representante será definida por índice técnico, o desempenho em outras provas no Finkel.

Etiene, na verdade, está retomando suas origens. "Nos meus tempos de infantil e juvenil, eu nadava crawl e borboleta. Foi numa competição no Sport que o Nikita (ex-treinador dela) me pediu para nadar costas, porque estava faltando alguém. Eu me saí bem e acabei me especializando em costas".

A participação no estilo borboleta se deve à insistência de Vanzella. Etiene não queria nadar essa prova, que exige muito esforço físico nos treinamentos. "Eu disse que ela ia nadar e acabou, saí andando. Se eu não fosse firme, ela não teria conseguido esse resultado".

O método de treinamento de Vanzella inclui o nado em outros estilos. "Nadar borboleta ajuda no trabalho de força. E gosto que meus nadadores façam outros estilos. Isso ajuda o sistema nervoso central a se apurar ainda mais quando o nadador executa seu estilo de preferência".

Leia tudo sobre: nataçãoetienefinkelpiscinaversatil