Evento marca dois anos para o início dos Jogos Paralímpicos Rio 2016

Durante a celebração, serão disputadas partidas de voleibol sentado e goalball

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Vice-campeã Mundial, a seleção brasileira de voleibol sentado disputará partida contra equipe 'Geração de Prata'
Divulgação
Vice-campeã Mundial, a seleção brasileira de voleibol sentado disputará partida contra equipe 'Geração de Prata'

No próximo domingo, 7, o Rio de Janeiro será palco de um evento que celebra a data de dois anos para o início dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. As festividades ocorrerão das 8h às 11h, nas quadras do Parque do Flamengo, Zona Sul da cidade. Atletas da conhecida 'Geração de Prata', vice-campeã nas Olimpíadas de 1984, em Los Angeles, disputarão uma partida de voleibol sentado contra a seleção brasileira, atual vice-campeã do mundo. Além disso, o público também terá contato com o goalball, modalidade praticada por pessoas com  deficiência visual.

Renato Leite, um dos precursores do voleibol sentado no Brasil e integrante da seleção brasileira desde 2003, comemorou a oportunidade de apresentar ainda mais o esporte ao público nacional.

“É um privilégio fazer parte deste momento. O voleibol sentado é um dos esportes mais novos do esporte Paralímpico no Brasil e produz jogadas muito bonitas para o público, que sempre se impressiona com a agilidade dos jogadores. O voleibol sentado brasileiro está em ótimo momento, acabamos de conquistar a medalha de prata no Campeonato Mundial, e participar deste evento é muito importante para dar mais visibilidade à modalidade. O esporte Paralímpico do Brasil vem crescendo ano a ano e tenho certeza que os Jogos Rio 2016 irão melhorar ainda mais a nossa realidade”, disse o campeão dos Jogos Parapan-Americanos de 2007, no Rio.

Montanaro, que ao lado de nomes com Fernandão, Bernard e Amauri, marcou época com a conquista da medalha de prata em 1984, a primeira da história da seleção brasileira de vôlei, disse que não será nada fácil encarar o desafio do voleibol sentado.

"Este evento é uma iniciativa muito interessante para celebrar esta data tão importante. Ao mesmo tempo em que haverá o reconhecimento a uma geração que fez história no passado, também serão colocadas em evidências equipes que representam tão bem o Brasil atualmente. Tenho certeza que o público vai gostar muito da oportunidade de ter contato com estes esportes. Já tive experiências com o voleibol sentado no clube onde trabalho e é muito complicado jogar contra eles. Já estamos com uma certa idade, então seria melhor se jogássemos de pé ou correremos o risco de levar muitas boladas", comentou o ex-jogador. A Geração de Prata também ficou marcada pelo amistoso realizado contra a União Soviética, em 1983, no Maracanã. Mais de 90 mil pessoas acompanharam o duelo, público recorde no mundo.

Para o goalball, prata nos Jogos de Londres, em 2012, mas um esporte ainda pouco conhecido no país, o evento será ainda mais importante pelo contato que os espectadores terão com a atividade, como contou o artilheiro do Brasil na conquista do título mundial, em julho deste ano, Leomon Moreno.

"É muito importante poder comemorar essa marca de dois anos no Rio de Janeiro. Vai fazer com que a gente se sinta mais perto dos Jogos Rio 2016. E, para o goalball, que não é um esporte tão conhecido, ter esse espaço em uma comemoração tão importante e uma oportunidade de se apresentar a mais pessoas é muito bom. É um esporte muito divertido e normalmente quem conhece gosta bastante e passa a acompanhar mais de perto. Espero que o público compareça e que se divirta bastante, sem medo de levar boladas. Qualquer um pode praticar", concluiu.