Brasil atropela Egito e aguarda adversário das oitavas de final

Com o triunfo, a seleção confirmou o segundo posto da chave e agora espera a definição do Grupo B para saber quem enfrentará no próximo domingo, às 17h, em Madri

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Seleção brasileira não tomou conhecimento dos egípcios em último duelo brasileiro na primeira fase da Copa
FIBA/REPRODUÇÃO
Seleção brasileira não tomou conhecimento dos egípcios em último duelo brasileiro na primeira fase da Copa

Depois do sufoco contra a Sérvia, a tranquilidade. Fechando sua participação na primeira fase da Copa do Mundo de basquete, o Brasil simplesmente passeou sobre os egípcios em Granada. Diante de um rival já eliminado e sem nenhuma pretensão, a seleção chegou pela primeira vez nesta edição do torneio internacional ao placar centenário - 128 a 65 sobre a equipe africana, que se despede do certame com a última posição do Grupo A. 

Com o triunfo, a seleção brasileira confirmou o segundo posto da chave e agora aguarda a definição do Grupo B para saber quem enfrentará no próximo domingo, dia 7 de setembro, às 17h (de Brasília), em Madri, pelas oitavas de final da Copa. Múltiplos cenários se desenham (veja no fim da matéria), entre eles um duelo com a Argentina, exatamente na mesma data e na mesma fase que a seleção foi eliminada pelos hermanos no último Mundial, em 2010, na Turquia. 

O jogo

Jogando simplesmente para ratificar sua segunda posição como segundo colocado do Grupo A da Copa do Mundo de basquete, a seleção brasileira não teve muitas dificuldades para impor seu ritmo de jogo e dominar, por completo, o Egito desde os primeiros minutos da partida. No primeiro quarto, para se ter ideia, a facilidade foi tamanha que a equipe aproveitou 13 das 18 tentativas de ataque que teve à disposição (aproveitamento de 72%). Dentro da área pintada as estatísticas foram ainda mais favoráveis. Foram 11 conclusões de dois pontos em doze tentativas. Com tamanha diferença técnica, o placar não poderia ser diferente. O Brasil finalizou o primeiro quarto com 27 pontos de frente (37 a 10).

O segundo quarto teve início com uma enterrada do armador Raulzinho, um dos menores jogadores da seleção brasileira, após assistência de Tiago Splitter. Pelo fator inusitado do lance já dá para imaginar o que aconteceu com os egípicios. Em nenhum momento, a equipe africana assustou os brasileiros, que seguiram ali, em ritmo de treino, fuzilando seus adversários sem dó nem piedade. Na saída do intervalo, o placar apontava 44 pontos de diferença (67 a 23).   

Histórico 

A vitória da seleção brasileira por 128 a 65 foi a maior da atual edição da Copa do Mundo de basquete, superando o resultado conquistado pelos norte-americanos sobre a Finlândia, na primeira rodada por 114 a 55. 

Os cenários e possíveis rivais do Brasil nas oitavas de final: 

Argentina Brasil e Argentina se enfrentam nas oitavas, no próximo domingo, dia 7 de setembro, se os argentinos forem derrotados pela Grécia, a Croácia ganhar de Porto Rico e Senegal perder das Filipinas. Desta maneira, os argentinos caíriam para 3° no confronto direto com a Croácia, e ambos ficariam com 2v e 3d.

Croácia Os croatas estão em um beco sem saída. Precisam vencer para assegurar a vaga nas oitavas de final, mas em caso de derrota quem se classifica é Porto Rico. Em caso de avanço, a Croácia encara o Brasil em dois cenários. No primeiro deles, em caso de vitória da Argentina sobre a Grécia e uma derrota de Senegal para as Filipinas. No segundo cenário, Senegal precisa vencer e a Argentina perder. Assim, todos ficariam empatados e a Croácia ficaria em 3° no saldo de pontos no confronto direto entre os 3 (cada time venceu um jogo).

Senegal Os senegaleses, principais zebras do Mundial até aqui, encaram o Brasil se vencerem Filipinas e a Croácia perder para Porto Rico. Nesse caso, Porto Rico seria 4° e Senegal 3°. A outra opção é Senegal vencer e Croácia e Argentina também triunfar sobre os gregos. Desta maneira, a equipe africana ganharia da Croácia no desempate e ficaria em 3°, com a Argentina pulando para a liderança.

Leia tudo sobre: basqueteCopa do Mundoseleção brasileiraegito