Caso gera críticas e mostra contradição

As diretrizes do Vaticano afirmam que acusações de abuso sexual devem ser relatadas em todos os países onde isso é exigido

iG Minas Gerais |

Santo Domingo, República Dominicana. O Vaticano atraiu muitas críticas por ter ajudado Jozef Wesolowski a evitar um processo e, possivelmente, a prisão na República Dominicana.  

Agindo contra suas próprias diretrizes em relação a abusos sexuais, a igreja não informou às autoridades locais a respeito dos indícios contra o arcebispo, chamando-o secretamente de volta a Roma no ano passado, antes que ele pudesse ser investigado, e invocando a imunidade diplomática para Wesolowski, de forma que ele não fosse processado na República Dominicana.

A forma como o Vaticano lida com o caso destaca ao mesmo tempo a mudança na forma como a igreja vê os episódios de abuso sexual, e o que muitos críticos afirmam ser suas falhas. Quando se trata de afastar os pedófilos do sacerdócio, o Vaticano está agindo de forma mais assertiva e veloz. Porém, a instituição continua a não querer relatar pessoas suspeitas de abuso às autoridades locais.

As diretrizes do Vaticano afirmam que acusações de abuso sexual devem ser relatadas em todos os países onde isso é exigido.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave