O direito ao si por si mesmo

iG Minas Gerais |

Ilustração Hélvio Avelar
undefined

Tem dias que mais parecem que foram desenhados para ser noites. Tem minutos que simplesmente parecem horas. Existem momentos que parecem que foram feitos para te aborrecer, e não para te fazer feliz. É como assistir a um filme inteiro e, no final, perceber que ele acaba sem mais nem menos e você perdeu seu tempo à toa. É como fazer campanha para um político do bem e, depois da apuração, se contentar com a turma do mal fazendo a festa da vitória. É como comprar o melhor sapato na loja cara e, assim que coloca o pé na calçada, pisa em cheio no cocô mole do cachorro do bandido.

É claro, se existem dias belos e azuis, por que não haveria tardes cinzentas e nebulosas? Temos a estranha mania de acreditar que tudo vai dar certo porque tem que dar certo. Não é bem assim. No fundo, você sabe: tem que ter muita sorte e atenção para não se envolver num acidente de trânsito, para não errar feio no trabalho e ser demitido por justa causa, para não ser assaltado à mão armada num país que não te passa a mínima segurança pública, para não deixar que a tristeza amarga de um dia ruim se transforme na recorrência de uma vida depressiva e sem planos.

O otimismo deve fazer parte da sua vida como o sangue que corre em suas veias. O pensamento positivo tem que ser presente em sua mente como a comida saudável que te alimenta de três em três horas. A alegria e o bem-estar são sentimentos obrigatórios, assim como a sensação valiosa e imperceptível do oxigênio entrando pelas suas fossas nasais. Você sabe disso, mas quem disse que basta apenas saber para praticar?

Somos feitos de amor, buscamos a liberdade, e o que não pode nos faltar é esperança. Minha intenção não é ter um discurso chato e pragmático, mas tem dias que nem amor, nem liberdade, muito menos esperança são prioridades em sua pauta diária. Você só quer se debater com o que tiver que enfrentar e esperar que o dia termine bem.

Você não tem obrigação de ser feliz para os outros. Você deve, sim, uma explicação a si mesmo. Tirando qualquer crítica egoísta, o ser que mais importa no mundo a si é você mesmo. Portanto, pra que posar de insuperável, de poderoso, de afortunado e de o mais alegre do mundo se o que mais quer é apenas um dia calmo, solitário e agradável consigo mesmo? Nesse caso, é o amor ao seu bem-estar momentâneo, a liberdade incondicional de ir e vir de suas ideias e a esperança de ninguém te incomodar nessa tarefa individual que falam, gritam, esbravejam mais alto. É isso que realmente importa nesses dias desertos e sombrios.

É claro que, por mais que queira viver recluso nessa aridez, você não tem essa permissão. Vivemos em sociedade, ninguém é feliz sozinho, e sonho que se sonha junto é muito mais encantador. A bandeira que estou defendendo hoje é que o ovo virado é natural, dormir uma noite de calça jeans não é tão mau, e o mau humor matinal pode ser normal. Os leões que você tem que matar por dia fazem parte apenas da sua história. Então, nada melhor do que sentir, sem pressões ou amarguras exteriores, o seu amor interior, essa tal liberdade intelectual e a esperança de uma vida simples, agradável e sincera. O script é seu. E esse filme só vai ser visto por você!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave