Jovem espera por cirurgia há 1 ano

Paciente aguarda liberação para retirar pedras na vesícula desde 2013

iG Minas Gerais | José Augusto Alves |

Papeis já foram encaminhados para unidade de saúde, mas paciente não obteve retorno
Alex Brandão
Papeis já foram encaminhados para unidade de saúde, mas paciente não obteve retorno

Os problemas na área da saúde em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, continuam prejudicando os pacientes da cidade.

A açougueira Ana Lúcia dos Santos, de 25 anos, é um dos exemplos. Ela espera há mais de um ano para realizar uma cirurgia. “Fui diagnosticada com pedras na vesícula no ano passado e, desde então, aguardo por uma operação”, disse.

Segundo ela, todos os procedimentos já foram feitos. “Já fiz vários exames e ultrassons que constataram o problema, mas, não sei por quê, não liberaram a minha cirurgia”, acrescentou a jovem. Há tanto tempo convivendo com o problema, ela diz que já foi várias vezes ao médico por causa das dores. “Dói muito. Aí, eu vou à UAI (Unidade de Atendimento Imediato) Sete de Setembro ou Guanabara para me consultar. O médico passa um remédio para aliviar a dor, que melhora momentaneamente, mas, depois, retorna. É horrível essa situação”, afirmou. “O estranho é que outras pessoas que tiveram o mesmo problema que eu já conseguiram a cirurgia, e eu não”, completou a paciente.

Resposta

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que o pedido de cirurgia da paciente Ana Lúcia foi registrado na Diretoria de Regulação, setor responsável por encaminhamento de cirurgias eletivas, em maio de 2014. O procedimento ainda não foi realizado, pois há uma demanda muito grande desse tipo de cirurgia, que é agendada de acordo com a prioridade dos pacientes. “A secretaria ressalta que Ana Lúcia deve procurar uma Unidade de Atendimento Imediato (UAI) ou uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para realizar a reavaliação do seu quadro clínico para verificar se houve piora ou necessidade de urgência na cirurgia”, diz a nota.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave