PSG diz que rejeitou boa oferta do Barça por Marquinhos

Contratado em julho pelo Paris Saint-Germain, zagueiro brasileiro já era cobiçado pelo clube espanhol desde o início do ano

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Marquinhos vive um excelente momento pelo PSG, que pagou 32 milhões de euros para contratá-lo
REPRODUÇÃO/PSG
Marquinhos vive um excelente momento pelo PSG, que pagou 32 milhões de euros para contratá-lo

O presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, revelou nesta quarta-feira que rejeitou uma oferta de 40 milhões de euros (cerca de R$ 118 milhões) do Barcelona pelo zagueiro brasileiro Marquinhos, que despontou na base do Corinthians.

"Recebemos uma grande oferta do Barcelona, de mais de 40 milhões de euros, mas não contratamos o jogador para vendê-lo logo em seguida", declarou o dirigente, em entrevista ao jornal Le Parisien, da França. "Não estamos aqui para fazer negócios, e sim para construir um grande clube, com jogadores de talento."

O interesse do clube espanhol pelo defensor brasileiro não era segredo desde o início deste ano. Fazendo uma temporada longe de apresentar o brilho dos anos anteriores, o Barcelona tinha dificuldade para montar uma defesa sólida, principalmente por causa da aposentadoria de Carles Puyol e pelas seguidas lesões de Gerard Piqué. O time contou com o volante Javier Mascherano e atletas da base para compor o setor nos últimos meses.

Thiago Silva, também do PSG, e David Luiz, que acabou se transferindo do Chelsea para o mesmo clube francês, chegaram a ser cotados pela diretoria catalã. Mas as negociações não vingaram. Depois, o clube espanhol passou a mirar o jovem Marquinhos, de apenas 20 anos. O acerto, contudo, foi rejeitado pelo time francês, que já conta com os dois zagueiros mais caros da história, que formaram a zaga titular da seleção brasileira na Copa do Mundo.

Nasser Al-Khelaifi disse ainda que não conseguiu contratar o volante Angel Di María por causa do alto valor cobrado pelo Real Madrid. "Durante duas ou três semanas conversei com meu amigo, Florentino Pérez [presidente do Real]. Nos vimos duas vezes, fizemos uma oferta, mas não chegamos a um acordo sobre o preço. Para mim, era caro demais", declarou.

O presidente do PSG não revelou os valores envolvidos na negociação, mas ressaltou que a transferência não foi frustrada pelo "fair-play" financeiro, imposto pela Uefa para conter os gastos dos clubes da Europa. "Não tem nada a ver com o 'fair-play' financeiro. Ele [Di María] queria vir para o PSG, mas não foi possível". O argentino acabou acertando com o Manchester United.

Leia tudo sobre: PSGBARCELONA