Brasil encara a Sérvia de olho em vaga e segundo lugar da chave

Seleção quer esquecer os erros diante da Espanha para seguir firme em sua caminhada rumo ao pódio da Copa do Mundo de basquete

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Leandrinho contribuiu com importantes cestas de três pontos
Divulgação
Leandrinho contribuiu com importantes cestas de três pontos

A derrota para a Espanha, querendo ou não, já estava dentro dos prognósticos. O tropeço por 82 a 63 agora faz parte do passado. Hora de retomar o caminho e o sucesso brasileiro nesta jornada passa muito pelo que acontecerá nesta quarta-feira, às 13h (de Brasília), em Granada. Após vencer França e Irã, o Brasil encara a Sérvia a um triunfo de carimbar definitivamente seu passaporte às oitavas de final da Copa do Mundo de basquete.

A vaga na fase decisiva não parece ser uma missão tão complexa. Na chave composta por seis equipes, quatro se classificam. No entanto, um triunfo sobre os europeus colocará o Brasil na rota da segunda posição já que o selecionado verde e amarelo encerra sua participação na primeira fase diante do Egito, o saco de pancadas do grupo. Em segundo, a seleção poderá ter, teoricamente, uma vida mais tranquila nos cruzamentos do mata-mata. O posto lhe permitirá jogar contra o terceiro colocado do embolado grupo B, composto por Grécia, Argentina, Croácia, Senegal, Filipinas e Porto Rico.

Por isto, o duelo desta quarta-feira assume contornos decisivos. Os jogadores estão cientes disto e querem mostrar dentro de quadra que a evolução apresentada desde o início da preparação para o Mundial não sofreu nenhum tipo abalo após o passeio espanhol.

"Agora, com certeza, o jogo mais importante é contra a Sérvia. É ganhar deles e quase ter a garantia de ficar em segundo no grupo, o que seria muito importante para as nossas pretensões. Vamos estudar o que fizemos de errado, o que a gente pode melhorar e entrar focado nesta partida", destaca o pivô Tiago Splitter.

Após o desempenho irregular perante os espanhóis, o técnico Rubén Magnano reconheceu os erros na preparação de sua equipe e agora trabalha para que o forte jogo defensivo apresentado contra França e Irã retorne diante dos sérvios, conhecidos pelo ritmo bastante controlado e que alternam as jogadas de perímetro com a boa imposição física de seus pivôs.

"Nós temos que tratar de fazer nosso jogo e tudo bem feito. A partir daí temos grandes possibilidades de vitória. Vamos enfrentar um adversário forte, que tem um conjunto muito bom e que vai exigir muito da nossa equipe", analisou o técnico.

"Precisamos tratar de diminuir nossos erros que foram muito acentuados contra a Espanha para termos possibilidades de vitória. Vamos continuar buscando a melhor classificação possível na primeira fase da Copa do Mundo”, completou.

Situação da Sérvia

Até o momento, a Sérvia acumula duas vitórias e um tropeço na Copa do Mundo, na primeira rodada, a equipe bateu o Egito (85 a 64) e o Irã (83 a 70) e perdeu para a França (74 a 73). Com os mesmos cinco pontos do Brasil, os europeus atualmente ocupam a terceira posição da chave, enquanto os comandados de Rubén Magnano figuram em quarto.

Desempenho recente

No Mundial da Turquia, disputado em 2010, a Sérvia terminou em quarto lugar. Já no Campeonato Europeu do ano passado, os sérvios eliminaram a Itália na última rodada e garantiram a vaga na Copa do Mundo da Espanha.

Para ficar de olho

O cérebro da Sérvia é ele, Milos Teodisic. O armador, que defende o CSKA Moscou, já possui nesta Copa do Mundo de basquete uma média de 9,3 pontos e 4,7 assistências por partida. Outro que merece atenção é o pivô Miroslav Raduljica, de 2,13m, que atua no Milwaukee Bucks, da NBA, e é o maior pontuador sérvio - 15,7 pontos por partida. 

Leia tudo sobre: basqueteseleção brasileirabrasilserviamundial