Anatel quer realizar leilão de sobras de frequência até junho de 2015

Segundo o presidente da agência, o leilão incluiria, por exemplo, a banda H da frequência de 1,8 GHz (giga-hertz) em São Paulo que pertencia à Unicel

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) pretende realizar até junho do ano que vem o leilão de sobras de faixas de frequência que não foram arrematadas em licitações anteriores ou que foram recuperadas, disse nesta terça-feira (2) o presidente da agência, João Rezende.

Segundo Rezende, o leilão incluiria, por exemplo, a banda H da frequência de 1,8 GHz (giga-hertz) em São Paulo que pertencia à Unicel.

Além disso, o leilão de sobras deve incluir lotes de outras faixas, como 3,5 GHz e 2,5 GHz, que poderiam ser usadas para banda larga e serviços móveis. "Deveremos ter também ofertas voltadas para pequenas empresas", disse Rezende a jornalistas antes de seminário em Brasília.

4G

Em agosto, a Anatel publicou edital para leilão do 4G, que será realizado no dia 30 de setembro. No total, serão disponibilizados seis lotes da faixa de 700 MHz às operadas, que juntos garantirão pelo menos R$ 7,7 bilhões ao governo.

A telefonia móvel de 4G, mais veloz do que a de 3G e mais eficaz na transmissão de dados e vídeos, já está implantada nas principais regiões metropolitanas do país na frequência de 2,5 giga-hertz (GHz), leiloadas visando à instalação do serviço na Copa.

A diferença entre a frequência de 2,5 GHz e 700 MHz é que esta última tem maior alcance, demanda menos antenas e é mais apropriada para regiões menos populosas. Emissoras de rádio e televisão divulgaram nota com críticas ao edital publicado pela Anatel.

Segundo a Abert, que representa o setor, o valor de R$ 3,6 bilhões previsto pela reguladora para o pagamento dos custos com redistribuição dos canais de TV e RTV e com a mitigação de interferências da banda larga na TV digital é insuficiente.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave