Tio coloca fogo em sobrinha de 6 meses para se vingar do pai da menina

Briga começou depois que jovem se recusou a dividir água com o cunhado; no momento do crime, bebê estava no colo do pai, que também ficou queimado

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Uma briga em família por causa de água terminou em tragédia, nessa segunda-feira (1º), na zona rural de Caratinga, no Vale do Rio Doce. Para se vingar do cunhado, um homem de 32 anos ateou fogo contra a sobrinha de apenas 6 meses. O bebê teve queimaduras de 1º e 2º grau.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, a confusão começou depois que o lavrador foi até a casa do pai da criança, localizada no mesmo lote na rua Córrego do Rio Preto, afirmando que a mina dele havia secado por causa da longa estiagem e o cunhado teria que dividir a água.

Nesse momento, o jovem de 29 anos teria se irritado e se recusado a fazer a divisão. Para que o cunhado não fosse beneficiado, o homem bloqueou a passagem de água de um cano. Com a decisão do pai da criança, a mãe do suspeito, que estava no mesmo lote, foi até a casa do filho e contou o que tinha acontecido. Após isso, a confusão cessou.

Porém, depois de uma hora, o lavrador saiu para trabalhar quando viu o cunhado xingando a sua mãe. O jovem teria dito que a mulher era “fofoqueira e uma velha 'futriqueira'”. Além disso, o homem mandou a dona de casa embora, pois ela causaria desavenças entre as duas famílias.

Ao perceber que a mãe era xingada, o agressor foi até o cunhado e os dois começaram a se agredir fisicamente com socos e pontapés. O suspeito foi atingido no rosto e chegou a ficar desacordado. Depois que se recuperou da agressão, o homem pegou uma garrafa pet com gasolina e foi até a lavoura que o cunhado estava com a filha.

Chegando lá, o bandido ameaçou jogar o líquido contra o outro homem. Com a ameaça, o pai pegou a criança no colo imaginando que, como a menina estava em seus braços, o tio não teria coragem de jogar o produto.

No entanto, mesmo vendo que a sobrinha corria risco, o lavrador arremessou a gasolina e, em seguida, ateou fogo contra pai e filha. Tentando salvar a menina, o jovem a jogou no chão com a intenção de apagar as chamas.

Eles foram socorridos por populares e levados para o Pronto Atendimento (PA) Municipal, mas, devido à gravidade das queimaduras, as vítimas foram encaminhadas ao Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, onde seguem internados no setor de enfermaria. De acordo com a assessoria de imprensa da instituição, o estado de saúde deles é estável.

Após o crime, o suspeito correu para dentro de um cafezal, passou em casa, pegou um capacete e fugiu a pé. Militares fizeram rastreamento na região, mas ele ainda não foi localizado.

Mulheres dois suspeitos tinham combinado divisão da água

Policias fizeram contato com as companheiras dos suspeitos após o crime. Elas contaram que, no último domingo (31), haviam combinado de dividir a água caso faltasse para alguma das famílias. Porém, o pai da criança, mesmo sabendo do combinado, não aceitou ajudar o cunhado.

Ainda segundo a polícia, os envolvidos trabalham como caseiros do imóvel.

A ocorrência, que foi registrada como homicídio tentado, foi encerrada na Delegacia de Plantão de Caratinga.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave