Um bombeiro chamado Levir

Atletas lesionados, convocados e suspensos vão desfalcar a equipe na sequência

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDa e Thiago Prata |

Problemas. Levir Culpi terá dificuldades relacionadas às peças que tem à disposição no elenco
ALEXANDRE LOUREIRO/AE – 20.8.2014
Problemas. Levir Culpi terá dificuldades relacionadas às peças que tem à disposição no elenco

Vida de treinador não é fácil. A pressão por resultados vem de todos os lados: da diretoria, da torcida, dos próprios jogadores e até dos familiares. Com ela, vem também a obrigação de apagar os incêndios que podem aparecer quando menos se espera. E é exatamente esse o cotidiano do técnico Levir Culpi, que, prestes a completar a marca de 200 partidas no comando do Atlético, nesta quinta-feira, contra o Palmeiras, tem que solucionar vários problemas na equipe alvinegra.

Não bastassem os atletas que perdeu por conta de lesões nos últimos meses, como o zagueiro Réver, o lateral-direito Marcos Rocha e o atacante Guilherme – além do volante Lucas Cândido, ainda sem atuar na temporada –, e o avante Diego Tardelli e o lateral-esquerdo Douglas Santos, convocados para as seleções principal e sub-21, respectivamente, Levir pode não contar com mais alguns jogadores em função de problemas físicos.

O departamento médico do Atlético começará a detalhar a situação dos atletas que reclamaram de dores em Curitiba a partir desta terça-feira. Antes do início do jogo de domingo, diante do Coritiba, Pierre voltou a sentir dores no músculo adutor da coxa direita. Já durante a partida, Josué reclamou de uma fisgada na coxa esquerda, mesmo local das dores de Maicosuel. Por último, Marion deixou o gramado mancando. Os resultados das avaliações médicas serão divulgados hoje.

Esses quatro atletas são dúvidas para o duelo de quinta-feira, ante o Palmeiras, no Independência, pelo jogo de volta das oitavas de final, mas podem também ficar fora do confronto de domingo, contra o Botafogo, pela 19ª rodada do Brasileiro. Diante do Fogão, aliás, Levir já não terá o lateral-direito Alex Silva, o volante Leandro Donizete, o zagueiro Jemerson e o atacante André, todos suspensos.

Isso significa que, além dos obstáculos para definir o time titular, o técnico encontra problemas até para montar o banco de reservas. Com isso, é bem possível que os atletas da equipe júnior, vice-campeã da Taça BH, sejam acionados.

“Nós liberamos o Eduardo e o Carlos, porque o jogo (final) era importante. Às vezes, ficar só no banco (do time principal) é esquisito. Jogaram bem, e é possível, sim, uma utilização deles, se for o caso”, disse Levir.

O curioso é que, em meio à tormenta, o comandante alvinegro tenta enxergar a situação da forma mais otimista possível e pensar em soluções jogo a jogo.

“Agora vou pensar só para o jogo de quinta-feira, porque não adianta pensar mais à frente. Você projeta algumas coisas, mas acaba se desconcentrando no próximo jogo. Precisamos de, pelo menos, um empate para nos classificarmos à próxima fase (da Copa do Brasil). Vamos jogar contra o Palmeiras com tudo o que temos. E, a partir de amanhã (hoje), já começo a pensar na partida de quinta”, ressaltou o comandante do elenco atleticano. (Com Débora Ferreira)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave