América reafirma tranquilidade com Caso Eduardo, mas já prepara defesa

Advogado do Coelho está no Rio de Janeiro para tratar também da polêmica envolvendo o lateral-esquerdo

iG Minas Gerais | Diego Costa |

Neste ano, antes de jogar pela equipe mineira, Eduardo já teria defendido a Portuguesa e São Bernardo-SP
Divulgação/Assessoria América
Neste ano, antes de jogar pela equipe mineira, Eduardo já teria defendido a Portuguesa e São Bernardo-SP

Após as declarações do advogado do Joinville, Roberto Pugliese Jr. ao Super FC, afirmando que não vê 'escapatória' para o América no caso da suposta escalação irregular do lateral-esquerdo Eduardo, o advogado do Coelho, Henrique Saliba, conversou com a reportagem sobre a afirmação do delator. 

Saliba rechaçou a assertiva de Pugliese e se mostrou confiante com o andamento da situação. 

"Esse é um posicionamento dele (Roberto Pugliese). Claro que não vai enxergar outras possibilidades. Mas não vamos entrar neste mérito neste momento. Vamos preservar as teses de defesa", explicou o advogado do clube mineiro, que está no Rio de Janeiro para tratar, dentre outras coisas, do caso envolvendo o jogador. "O América entende que o atleta tinha condições, mas vamos esperar a acusação se tornar um denúncia", reafirmando a nota oficial divulgada pelo clube no último fim de semana. 

O clube catarinense quer que o Coelho perca 21 pontos na Série B por ter escalado Eduardo de forma irregular, já que o lateral atuou por outros dois clubes em competições nacionais, neste ano, o São Bernardo-SP e a Portuguesa. Para a acusação, o Joinville se baseia no artigo 49 do Regulamento Geral de Competições da CBF, versão 2014, e no artigo 2014 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). 

Para se defender de uma possível acusação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, o STJD, Henrique Saliba também citou o exemplo do ano passado, quando o São Caetano foi envolvido em situação semelhante. O clube paulista foi denunciado pelo Paysandu pela escalação irregular do lateral Renan Luís. No entanto, em julgamento, a equipe não foi penalizada, e o caso foi arquivado.

"É um caso parecido, mas temos outros argumentos para explorar. É um caso que vamos nos apoiar também. Temos outros elementos para apresentar, para atestar a regularidade do atleta", apontou.       Saliba também não descartou a possibilidade de o Coelho usar o Boletim Informativo Diário da CBF, o BID, como argumento de defesa, já que o sistema que gerencia os registros dos atletas do futebol brasileiro atestou para a liberação do jogador.    "Não quero entrar em mérito de defesa não. Seria um dos argumentos, mas não é o cerne da questão. Há outros pontos", concluiu. 

Leia tudo sobre: EduardoAméricaadvogadoHenrique SalibairregularidadejulgamentoSTJD