Mais do que shows singulares

Público que lotou as ladeiras da histórica cidade mineira se divertiu com a programação paralela do festival MIMO

iG Minas Gerais | lucas simões |

Sonia Wieder fez apresentação interpretando Nina Simone
tom cabral/divulgação
Sonia Wieder fez apresentação interpretando Nina Simone

Ouro Preto. Teve gente correndo a pé para não perder um show, gringos fazendo um som no meio da rua como programação paralela e informal de um festival renomado e até gente atrasada que deu um jeitinho de acompanhar qualquer som, mesmo que atrás da porta da igreja. No último sábado, o segundo dia do festival MIMO em Ouro Preto trouxe mais do que apresentações musicais singulares, como o memorável show de Sonia Wieder interpretando Nina Simone na Igreja do Rosário.

Pela manhã e até o fim da tarde, boa parte do público – em parcela massiva de turistas – invadiu as ladeiras de Ouro Preto à caça de souvenires e da programação paralela do festival. Nessa busca, além da disputada sessão do filme “A Música Segundo Tom Jobim”, que abarrotou o charmoso Teatro Vila Rica, algumas surpresas surgiram de improviso. Na praça Tiradentes, o chileno Pablo Juan Santos, 26, dedilhava seu violão para entoar canções regionais, arriscando acordes de “Garota de Ipanema” e “Eu Sei Que Vou Te Amar” entre uma moeda e outra pingada no chapéu. “Eu sou fã de Chick Coria e o Bassekou. Quero encontrar com eles aqui, logo quando cheguei a Ouro Preto vi a Paris brasileira, só tinha ouvido falar até então. Me receberam tão bem numa cidade tão charmosa, que eu decidi mostrar minha música”, disse.

Na programação oficial, o pianista capixaba Hercules Gomes, vencedor da seletiva de Novos Talentos do MIMO, arrancou aplausos extensivos do público presente na praça Tiradentes. Outro destaque foi o percussionista indiano Trilok Gurtu, que incendiou o palco na sequência com um batuque pesado, homenageando até a banda Nação Zumbi com uma palinha da clássica “Maracatu Atômico”, de Jorge Mautner e Nelson Jacobina.

Dos grandes concertos da noite, o show da violoncelista francesa Sonia Wieder dentro da Igreja do Rosário sem dúvidas foi o ponto alto do segundo dia de festival. Com singeleza e simpatia, a instrumentista interpretou o repertório clássico de Nina Simone, incluindo “Mr. Bojangles” solada no violoncelo, sem apoio de banda. No fim, teve gente encantada até pela fresta da porta da igreja, como o casal de namorados Patrícia Santos e Bráulio Melo, ambos de 26 anos. “Viemos de BH atrasados, tentamos correr, mas quando a gente chegou a igreja estava lotada, não dava para entrar. Esse foi o jeito que a gente deu de ouvir alguma coisa”, disse Patrícia.

A orquestra suíça CHAARTs também emocionou o público na sequência, com um concerto na Igreja São Francisco de Assis. Mais de 30 músicos sem regente, em um dos altares mais importantes de Ouro Preto, transformaram o templo praticamente em um anfiteatro, interpretando obras próprias e peças de Vivaldi e Bach.

A segunda noite do MIMO ainda teve shows do duo jamaicano-francês Winston MacAnuff & Fix, que mistura percussão africana e acordeon clássico, além de Marco Pereira e Toninho Ferragutti e uma energética apresentação de Bassekou Kouyate, reverberando a tradicional música de Mali na praça Tiradentes.

O jornalista viajou a convite do MIMO

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave