Uma nova chance numa nova revista de San Francisco

iG Minas Gerais | Laura M. Holson |

Kevin Sessums traz no bolso a ficha de dois anos de sobriedade
Matt Edge/The New York Times
Kevin Sessums traz no bolso a ficha de dois anos de sobriedade

EUA. Em 2008, a ex-editora da “Vanity Fair” Tina Brown reentrou na vida profissional do jornalista Kevin Sessum. Ela se associou a Barry Diller, presidente da empresa de mídia e internet IAC/InterActiveCorp, para fundar o site The Daily Beast. Logo, Sessums era freelancer da antiga chefe, escrevendo colunas com perguntas e respostas sobre celebridades, que demandavam menos tempo, mas também pagavam menos.San francisco.  

Em 2010, Brown se tornou redatora-chefe da “Newsweek” após a fusão de suas operações com a IAC. Sessums torcia por um emprego em tempo integral em Los Angeles no recém-batizado “The Newsweek Daily Beast”. Só que o emprego nunca apareceu, segundo pessoas inteiradas dessas conversas, porque Sessums queria carro, pagamento de despesas e aumento de salário.

Segundo Brown, ela disse a Sessums: “Kevin, essa época já terminou”. Sessums chamou o fato de “mal-entendido”.

Em 2011, ele começou a aplicar metanfetamina na veia. “Ainda tenho uma cicatriz aqui”, contou, arregaçando a manga esquerda da camisa para mostrar uma listra de cinco centímetros. No fim daquele ano, deixou Nova York e passou a morar numa pensão em Provincetown, em Massachusetts, onde participou de reuniões dos Alcoólicos Anônimos e foi voluntário num local que preparava refeições para necessitados.

Seis meses depois, Sessums sofreu uma recaída e foi expulso da casa de um amigo. Ele foi forçado a deixar os dois cachorros, Archie e Teddy, num abrigo provisório nos arredores de Boston. Ao ir embora, Sessums viu Archie latindo sem parar, arranhando a porta de vidro. “Eu perdi a cabeça e comecei a soluçar. Meu amigo me abraçou e disse: ‘A sobriedade é assim’”.

Sem ter onde morar, Sessums voltou a Nova York e outro amigo o acolheu. Ele regressou a Provincetown em outubro de 2012 e, seis meses depois, estava começando a retomar a vida antiga. O jornalista terminou a primeira versão do novo livro de memórias, “I Left It on the Mountain” (a ser lançado em fevereiro pela St. Martin’s Press), tirou os cachorros do abrigo e vasculhou o site Mediasbistro.com em busca de emprego.

Um chamou seu interesse: redator-chefe de uma nova revista com sede em San Francisco. A publicação, “FourTwoNine” (os números formam a palavra “gay” no teclado de celular), é cria de Richard Klein, empreendedor que fundou a revista “Surface” em 1993.

Klein viu as postagens de Sessums no Facebook, onde o jornalista tem apoiadores solidários. Ele o convidou para almoçar no Fairmont Copley Plaza em Boston. A “FourTwoNine” precisava de alguém com os contatos de Sessums. “E ele necessitava dessa oportunidade tanto quanto nós dele’, Klein afirmou. Ele lhe ofereceu o cargo.

Um ano atrás, Sessums se mudou para San Francisco e a primeira edição foi lançada em outubro do ano passado com tiragem de 85 mil exemplares e valor de capa de US$ 12,99. A revista vem recebendo críticas promissoras, inclusive de um antigo chefe. “É uma publicação muito segura de si mesma com tão pouco tempo de vida”, garantiu Graydon Carter, que também foi editor de Sessums na “Vanity Fair”.

Sessums declarou estar trabalhando com mais afinco do que nunca. Ele mantém no bolso a ficha de dois anos de sobriedade e uma pequena imagem da deidade hindu Ganesha, geralmente chamado senhor dos obstáculos. Sessums se disse “abençoado por ter tido uma segunda chance”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave