Equipes brasileiras ficam fora do pódio no Mundial de Judô

Time masculino ficou na quinta colocação ao ser superado na disputa do bronze; equipe feminina foi eliminada logo na sua estreia

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Judô brasileira acabou fora do pódio na disputa por equipes do torneio mundial
Reprodução/Site oficial
Judô brasileira acabou fora do pódio na disputa por equipes do torneio mundial

O Brasil ficou sem medalhas no último dia de disputa do Mundial de Judô, realizado em Chelyabinsk, na Rússia. Neste domingo, no dia reservado para a disputa por equipes, o time masculino ficou na quinta colocação ao ser superado pela Geórgia, por 3 a 2, na disputa da medalha de bronze. Enquanto isso, a equipe feminina foi eliminada logo na sua estreia, pelo mesmo placar, pela Polônia.

A equipe masculina do Brasil teve uma boa estreia neste domingo. O selecionado do País avançou na competição ao superar a forte seleção da França por 3 a 2. Chibana, Penalber e Tiago Camilo venceram suas lutas e David Moura e Alex Pombo foram derrotados.

Nas quartas de final, porém, o Brasil perdeu pelo mesmo placar para a Alemanha, repetindo a derrota do Mundial de 2013, no Rio, quando os judocas do País foram batidos na primeira rodada. Chibana e Rafael Silva triunfaram diante dos alemães, mas Pombo, Penalber e Tiago Camilo acabaram sendo batidos.

Assim, os brasileiros seguiram para a repescagem e venceram Cuba por 3 a 2, se classificando para a disputa da medalha de bronze. Sem Penalber, com dores no joelho direito, o Brasil começou a série empatada por 1 a 1, pois Cuba não tinha representante no peso médio. Depois, Chibana e Pombo ganharam e Rafael Silva foi batido em resultado suficiente para a equipe avançar.

Depois, na disputa do bronze, começando a disputa em desvantagem por causa da ausência de Penalber, o Brasil venceu duas lutas, com Chibana e Rafael Silva, mas perdeu outras duas, com Pombo e Tiago Camilo, para a Geórgia, que era a atual campeã mundial e assim assegurou o seu lugar no pódio.

"Se o Victor tivesse participado, acredito que o panorama teria sido diferente porque é sempre um atleta muito forte. Mas numa decisão é possível tudo acontecer. Não esperava que o Tiago Camilo perdesse da maneira que perdeu, enfim, faz parte da competição. A disputa por equipe é uma competição difícil de apontar favoritismo”, disse Ney Wilson, gestor técnico de alto rendimento.

Ney Wilson, porém, destacou a disposição de Penalber, que participou das primeiras lutas deste domingo, mesmo longe das condições ideais. "No campeonato mundial, atletas se lesionam e você acaba lutando desfalcado ou com o atleta fazendo sacrifício como foi o caso do Victor. Ele contribuiu muito pra gente ter chegado na disputa de terceiro. Mostrou um espírito de equipe, de superação e acho que se a medalha viesse, teria que ser uma homenagem a ele”, concluiu.

Já a equipe feminina caiu precocemente ao ser batida pela Polônia por 3 a 2. Sarah Menezes, Rafaela Silva e Maria Portela perderam os seus combates, enquanto Mariana Silva e Rochele Nunes venceram suas lutas.

O domingo sem medalhas levou o Brasil a terminar a edição de 2014 do Mundial de Judô com apenas quatro medalhas. Mayra Aguiar (até 78kg) conquistou o ouro, Maria Suelen Altheman (mais de 78kg) levou a prata e Erika Miranda (até 52kg) e Rafael Silva (mais de 100kg) ficaram com o bronze.

Leia tudo sobre: judômundialpódioequipe brasilmedalhas