Criminosos foram presos em Israel

iG Minas Gerais |

Assunção. A operação Nilo, investigação conjunta entre Senad e Polícia Federal brasileira, teve também a colaboração do governo da Bolívia. Nos dias 14 e 15 de abril, a força-tarefa capturou 12 pessoas, entre elas um brasileiro, e desarticulou uma quadrilha de traficantes internacional com ramificações no Brasil, na Bolívia, no Paraguai e em Israel. Cinco criminosos foram presos em Israel.  

Outros cinco caíram no Paraguai, um traficante foi detido na Bolívia e outro no Brasil.

No último dia 7, agentes da Senad prenderam em Ciudad del Este, na fronteira com Foz do Iguaçu, o brasileiro Ricardo Munhoz, fugitivo de cadeias de São Paulo e Santa Catarina. Condenado por agir na região de Camboriú, Munhoz é acusado de tráfico de armas, corrupção de menores e formação de quadrilha.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave