Foco total pode diminuir desgaste

Algumas das principais seleções, depois de poupar importantes peças na Liga Mundial, entram com gás total no Mundial, mostrando que o campeonato é mesmo a prioridade da temporada

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Enquanto Brasil, Polônia, EUA, atual campeão da Liga Mundial, Itália, Rússia e Bulgária entram com mais força, outras seleções querem voltar a surpreender, como o Irã, e outras terão a chance de mostrar algum potencial, mesmo sendo desconhecidas, como é o caso de China, Egito, México e Camarões. “O Mundial realmente possui seleções de menos tradição, o que não quer dizer que são times fracos. São jogos perigosos, e o Brasil precisará entrar atento, até para não se desgastar desnecessariamente. O Mundial exige muito, e é preciso dar o máximo para tentar vencer jogos da melhor forma possível. Isso pode fazer a diferença lá na frente”, saliente André Heller. Algumas das principais seleções, depois de poupar importantes peças na Liga Mundial, entram com gás total no Mundial, mostrando que o campeonato é mesmo a prioridade da temporada.

Leal conhece pouco sobre time de Cuba Se fosse em outra época, Cuba certamente estaria entre as principais equipes do Mundial. No entanto, as regras esportivas do país fizeram com que o time nacional perdesse suas estrelas e tivesse que contar, agora, com jogadores que estão apenas começando sua carreira. Grandes nomes da ilha, que atuam nos principais clubes do mundo, como é o caso do ponta Leal, do Sada Cruzeiro, e do central Simón, ex-Piacenza-ITA e hoje no vôlei coreano, não estarão defendendo seu país como gostariam. “Minha vontade sempre vai ser jogar por meu país, nunca escondi essa vontade de ninguém. Infelizmente, não é possível. Não conheço muito do elenco que irá nos representar na Polônia”, indica Leal. Sondado para jogar pelo Brasil, Leal agradece o reconhecimento do bom trabalho que tem feito no time mineiro nas últimas temporadas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave