Computador do governo federal inclui crítica a Alckmin na Wikipédia

O Ministério das Cidades disse que já iniciou a apuração dos fatos e informa que não foi utilizado equipamentos do ministério

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 A rede de internet do Ministério das Cidades foi utilizada para incluir críticas ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que concorre à reeleição. O caso foi revelado nesta sexta-feira (29) pelo jornal "O Globo".

A mudança, feita na tarde de quarta-feira (27), foi realizada no verbete do sistema Cantareira a fim de incluir crítica à atuação do tucano na crise hídrica pela qual o Estado passa.

"Apesar dos esforços da Sabesp e do governador Geraldo Alckmin, a demora em assumir que o reservatório estava com volume baixo e as frequentes afirmações de que "não há crise" começou a atrair uma atenção imensa de jornais e também da mídia alternativa", diz trecho incluído.

A alteração foi detectada imediatamente pelo perfil de Twitter @brwikiedits -trata-se de um robô programado para vasculhar todas as edições na Wikipédia feitas a partir de redes do governo federal, inspirado em iniciativas idênticas feitas no exterior.

O Ministério das Cidades disse que já iniciou a apuração dos fatos e informa que não foi utilizado equipamentos do ministério. Há indícios de que pode ter sido usado um equipamento portátil, como tablet ou aparelho celular, possivelmente por meio da rede wi-fi do ministério.

Informa, ainda, que os comentários alterados não são agressivos e dizem respeito a informações de domínio público sobre abastecimento de água no Sistema Cantareira.

OUTROS CASOS

Onze computadores do governo federal foram usados para fazer alterações em páginas da Wikipédia, entre elas uma de dentro da Presidência a favor do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, conforme a Folha revelou no dia 28 de julho. A conexão à web da Presidência foi usada para retirar trecho sobre suspeitas de corrupção na Funasa (Fundação Nacional da Saúde) quando Padilha era diretor do órgão, e incluir elogio ao programa Mais Médicos. "Com o sucesso do Mais Médicos Padilha se torna um dos pré-candidatos petistas à disputa pelo governo de São Paulo em 2014", dizia o texto. Além de alterações nas páginas de políticos, um computador na Presidência também foi usado para alterar perfil dos jornalistas Míriam Leitão, colunista do "Globo", e de Carlos Alberto Sardenberg, da CBN e Rede Globo, na Wikipédia, conforme revelou o jornal "O Globo" no início deste mês. De acordo com o jornal, o IP 200.181.15.10, da Presidência, realizou mudanças nos textos em maio do ano passado com o objetivo de criticá-los. O IP foi usado para associar Míriam Leitão ao banqueiro Daniel Dantas, afirmando que a colunista teria feito "a mais corajosa e apaixonada defesa" dele, e para desqualificar suas análises econômicas. O Planalto começou a investigar o uso irregular das redes de internet no dia 11 deste mês, a fim de identificar os responsáveis. Foi criada uma comissão de sindicância por ordem da presidente Dilma Rousseff (PT) para investigar as alterações feitas em perfis de jornalistas e políticos na Wikipédia. Ela terá um prazo de 30 dias para concluir quem foi o autor das modificações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave