Camponesa-Minas ainda procura mais duas jogadoras para fechar elenco

Equipe já conta com jogadoras que darão importante suporte para as mais jovens; mercado restrito dificulta acertos

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Marco Queiroga sente o grupo mais confiante após duas importantes vitórias
Divulgação
Marco Queiroga sente o grupo mais confiante após duas importantes vitórias

O Camponesa-Minas já mostrou que entra nesta temporada em um outro nível. A chegada de um patrocinador master antes mesmo dos torneios oficiais possibilitou que a equipe contratasse peças de qualidade, casos da central Walewska, da oposta Lia e da ponta e oposto Ju Costa. O trio aumenta o nível técnico do time de Marco Queiroga, que já comemora o outro patamar alcançado.

"Temos um grupo mais forte e experiente, isso é certo. Estaremos mais conscientes de nossas necessidades. A Walewska e a Lia, que possuem mais rodagem, vão ajudar muito. A ideia é conseguir bons resultados, de acordo com as nossas condições", pontua.

Mesmo com os reforços, o Minas continua procurando por mais peças. A equipe quer contar com mais duas jogadoras experientes, para dar às mais jovens um suporte ainda maior dentro de quadra. Algumas das especulações giram em torno dos nomes da central Carol Gattaz e da levantadora Ana Tiemi, ambas com passagem pela seleção brasileira.

"Estamos estudando o mercado, que apresenta algumas restrições, já que a maior parte dos times já está formado. Temos que analisar bem para adequar os nomes à nossa realidade. Precisamos de atletas que saibam da nossa realidade, tanto estrutural como financeira, e que estejam dispostas a ajudar neste crescimento", analisa Queiroga. Um dos nomes procurados, recentemente, foi da ponta Jaqueline. Uma sondagem foi feita e o retorno obtido impediu a formatação de uma proposta oficial. 

O Minas terá o Campeonato Mineiro e a Superliga como os principais desafios da temporada. No último ano, com um grupo bastante jovem, o Minas não conseguiu se desgrudar das últimas posições no Nacional.