Dada a largada para ‘tiro direto’

A resposta ao ataque veio horas depois em nota assinada pelo presidente do PT em Minas e dirigentes que formam a aliança com a sigla

iG Minas Gerais | Larissa Arantes |

Fernando Pimentel fez caminhadas em Mariana e em Ouro Preto
Fernando Cavalcanti
Fernando Pimentel fez caminhadas em Mariana e em Ouro Preto

Se até agora os dois principais candidatos ao Palácio Tiradentes evitaram fazer críticas diretas um ao outro, essa postura foi deixada de lado nesta quinta. Ao mencionar o episódio de furto de seus cavaletes na segunda-feira, Pimenta da Veiga (PSDB) foi enfático. “Alguém que manda roubar placas do adversário, como ele (Fernando Pimentel) fez, alguém que tem mentido descaradamente não está apto a falar do meu comportamento”, atacou, ao ser questionado sobre as declarações do petista de que ele “se esconde em seus apoios”.  

“Eu tenho uma longa vida pública honrada e não vou fazer um debate com alguém com essas características. Bobo é quem acha que o mineiro é tolo”, completou Pimenta, durante agenda de campanha.

A resposta ao ataque veio horas depois em nota assinada pelo presidente do PT em Minas e dirigentes que formam a aliança com a sigla. “Atribuímos a tentativa de difamação ao desespero de quem está 14 pontos atrás nas pesquisas de intenção de voto”. O texto reafirma que a coligação “nunca ordenou” a destruição ou retirada de cavaletes do rival. “Sem discurso propositivo e carente de ideias e projetos para Minas, Pimenta da Veiga se vale de factoides para se eximir do debate”.

Sem fazer referência direta à polêmica dos cavaletes, o candidato pelo PSB, Tarcísio Delgado, criticou ambos. “Enquanto os outros dois candidatos brigam jogando a culpa dos problemas mineiros nas costas do governo federal ou do estadual, eles se esquecem de que seus partidos estão nos dois governos e são ambos responsáveis pela situação atual do Estado”, disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave