Forte presença na América Latina

iG Minas Gerais | Lygia Calil |

O ceviche, prato-ícone da gastronomia peruana, é servido com muito coentro, como manda a tradição latina
Paulo Cunha / Outra Visão
O ceviche, prato-ícone da gastronomia peruana, é servido com muito coentro, como manda a tradição latina

O chef peruano Pierre Sablich está em Belo Horizonte, em sua terceira temporada na cidade, para uma consultoria no restaurante Inka. Nas reformulações de cardápio que faz, ainda que mude os pratos servidos, suas apresentações e receitas, o coentro permanece.

Para ele, trata-se de um dos traços mais marcantes da cozinha peruana e de outros países mais ao Norte da América Latina, ao lado dos ajís (pimentas) e huacatay (erva andina muito comum no sul do Peru).

Dos pratos típicos, segundo ele, mais da metade usa coentro na receita. Não que os pratos restantes passem incólumes – se não levam a erva na panela, são, pelo menos, finalizados e decorados com a planta.

“Gostamos do perfume do coentro e usamos em praticamente todo tipo de preparo, desde os ceviches, nosso prato-bandeira, servido crus, até nas carnes de cocção mais longa. Há receitas, inclusive, que são verdes, de tanto coentro que levam”, diz o chef, também professor de gastronomia no país andino.

Entre os pratos esverdeados mais típicos, está o seco de cordeiro, um guisado que também pode ser feito com carne de boi. Também marca presença no aguadito, uma espécie de canja peruana, servida para cortar a ressaca de pisco, a aguardente de uva mais consumida por lá.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave