Vereadores acusam Dannier de prejudicar obra na 381

Construção de um acesso que interligaria bairros podem não ocorrer por causa dele; presidente da fundação foi convocado a prestar esclarecimentos na Câmara

iG Minas Gerais | Lisley Alvarenga |

Para continuar com obra, Dannier (foto) tem que apresentar laudo para retirar monumento
Alex Brandão
Para continuar com obra, Dannier (foto) tem que apresentar laudo para retirar monumento

A insatisfação dos vereadores com os secretários municipais está cada vez maior. Desta vez, quem foi alvo das duras críticas dos parlamentares na reunião da Câmara de Betim, na terça (26), foi o presidente da Fundação Artístico-Cultural de Betim (Funarbe), Dannier Copertine.

Dentre outras denúncias, o gestor foi acusado de prejudicar o andamento da construção de um acesso na BR–381 que interligaria o Jardim Petrópolis ao centro. A obra, totalmente custeada pela Autopista Fernão Dias, é esperada pelos moradores da região há mais de 30 anos. “A obra está quase parando por causa da irresponsabilidade do presidente da Funarbe. Ele (Dannier) não tem preocupação com a cidade e não está ajudando o Carlaile em nada, pelo contrário, está afundando o prefeito”, disparou Pãozinho (PV).

Segundo o vereador, para que as intervenções continuem sendo feitas pela Autopista, o município precisa retirar um monumento localizado no entroncamento da via, batizado como Obelisco. A obra simboliza a parte mineira da primeira etapa da construção da rodovia Fernão Dias, concluída em 1959, e foi tombado pelo Patrimônio Histórico de Betim, em 2002, não podendo sofrer alterações sem prévia autorização.

Dessa forma, afirmou Pãozinho, além da autorização do Conselho Deliberativo do Patrimônio Histórico de Betim, Dannier precisaria apresentar um laudo técnico de uma empresa especializada em retirada de patrimônios tombados. “Apesar de o conselho ter autorizado a retirada há três meses, Dannier, por incompetência, até hoje não apresentou esse laudo”, afirmou Pãozinho.

Para o líder de governo, Eliseu Xavier (PTB), é preciso pressionar Dannier para que ele resolva o problema. “A obra é executada pela Autopista, não tem o dinheiro do município. Se os secretários não viabilizarem, ela não vai ocorrer”, alertou.

Para o vereador Erasmo da Academia (PDT), o presidente da Funarbe não tem compromisso com o governo nem com a população. “No início do ano, estive com o Carlaile, e ele delegou ao Dannier que levasse o Centro de Cultura para o Icaivera. Até hoje, esse cidadão, que não tem feito papel de homem, pelo contrário, tem feito um papel de moleque, não atendeu à determinação do prefeito”.

Dannier afirmou que a localização do monumento não impede a execução da obra e que o conselho já solicitou um laudo técnico para retirar o monumento e garantir a sua a proteção. “A empresa se comprometeu a entregar o documento na próxima semana”, explicou.

Já o diretor-superintendente da Autopista Fernão Dias, Helvécio Tamm, explicou que a obra não foi prejudicada e que o laudo técnico já foi apresentado. “A prefeitura se comprometeu a resolver o problema o mais breve possível. Eles informaram que vão retirar o monumento e, depois que a obra for concluída, irão realocá-lo no espaço”. Dannier foi convocado pelos vereadores a prestar esclarecimentos na Câmara nos próximos dias e, caso não compareça, irá cometer uma infração político-administrativa.

Denúncias

Pãozinho (PV) também criticou a qualidade da gestão de Dannier à frente da Funarbe. Segundo o vereador, apesar de ele ter assumido a pasta há apenas seis meses, já teriam sido protocoladas 12 denúncias no Ministério Público contra ele. “A coisa está virando é farra. Se hoje são 12, amanhã serão 13, e, quando chegar ao fim do mandato de Carlaile, ele terá mais de mil denúncias contra ele. Infelizmente, ninguém pode saber de nada que acontece na Funarbe, porque a pasta é dele”, ironizou.

Dannier explicou que a Funarbe responde por denúncias referentes à gestão atual e às anteriores. “Todas as denúncias desta gestão foram respondidas e arquivadas pelo Ministério Público, já que são infundadas e irresponsáveis”, salientou. A assessoria do MP informou que no sistema de registro único da instituição, foi verificado um único procedimento contra Dannier.

Recusa

Os vereadores disseram também estar indignados com a postura de Dannier quanto às medidas de redução de gastos que vêm sendo tomadas pelo governo. Segundo Pãozinho (PV), apesar de a prefeitura estar cortando de quem mais precisa, como cancelar o Cartão Cesta Servidor – vale no valor de R$ 230 concedido a quem recebe até dois salários mínimos – de estagiários e pensionistas, o presidente da Funarbe se recusa a aplicar medidas de contenção de gastos na sua pasta.

“A Jeof (Junta de Execução Orçamentária e Financeira) pede à Funarbe para cortar gastos, mas o presidente da pasta não corta. Ele quer continuar com os shows, com as festinhas. Os coitados dos pensionistas e estagiários perderam o cartão Cesta Servidor, mas, na Funarbe, a situação virou farra. A Vânia (presidente da Jeof) tem que pedir para sair, e eles têm que colocar o Dannier no lugar. Aí ele vai tomar conta da cidade, pode levar o dinheiro todo para ele gastar. Os secretários estão mandando mais que o prefeito”, criticou.

Dannier disse que, em nenhum momento, se opôs a realizar corte de gastos na fundação. “Quando assumi o cargo, realizamos um planejamento dos gastos para o ano sem que isso afetasse a qualidade das ações artístico-culturais realizadas, e isso gerou uma economia, até o mês de agosto, de mais de R$ 2 milhões”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave