Prefeito de Luminárias é indiciado pela PF por desviar medicamentos

Além do político, outras três pessoas foram indiciadas por desviarem remédios públicos e os venderem em farmácias do prefeito

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Uma operação da Polícia Federal (PF) foi deflagrada nesta quinta-feira (28) para combater o desvio de medicamentos ocorridos na Prefeitura Municipal de Luminárias, cidade com pouco mais de 5 mil habitantes localizada no Sul do Estado. Três pessoas, além do prefeito Arthur Maia Amaral (PT), foram indiciadas. 

Segundo release divulgado pela corporação, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão e nove pessoas investigadas foram ouvidas. A operação, denominada Higia, leva este nome fazendo alusão à deusa da saúde e da cura da mitologia grega. 

A PF suspeita que medicamentos adquiridos pelo município seriam vendidos em farmácias de propriedade do prefeito. A investigação apontou que, em 2012, remédios eram comercializados nestes estabelecimentos com o lote raspado, o que seria um indício do desvio de bem público. 

No total cinco equipes policiais de Varginha, na mesma região, participaram da operação, que foi deflagrada na manhã desta quinta. Os suspeitos foram indiciados pelos artigos 273 e 288 do Código Penal, por falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais e por associação criminosa. O primeiro crime tem pena de 10 a 15 anos de reclusão e o segundo de 1 a 3 anos. 

Já o prefeito também foi indiciado por apropriar-se de bens ou rendas públicas, ou desviá-los em proveito próprio ou alheio, que tem pena de 2 a 12 anos de reclusão. A Prefeitura de Luminárias foi procurada por telefone, porém, por ter expediente somente até 16h, ninguém foi encontrado para comentar a operação policial. 

Leia tudo sobre: DESVIOMEDICAMENTOSPTLUMINÁRIASREMÉDIOSINDICIADOPOLÍCIA FEDERALOPERAÇÃOHIGIA