Saques a mais de 100km/h são registrados em treinos do Sada Cruzeiro

Ferramenta permite que velocidade precisa dos serviços seja registrada; líberos sofrem com seguidos e pesados serviços

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

ESPORTES : BELO HORIZONTE - MG - CT BARRO PRETO . TREINO DO SADA CRUZEIRO . FOTO APARELHO QUE MEDE VELOCIDADE DA BOLA 
FOTO : JOAO GODINHO  / O TEMPO 22.08.2014
JOAO GODINHO / O TEMPO
ESPORTES : BELO HORIZONTE - MG - CT BARRO PRETO . TREINO DO SADA CRUZEIRO . FOTO APARELHO QUE MEDE VELOCIDADE DA BOLA FOTO : JOAO GODINHO / O TEMPO 22.08.2014

 

Ter um saque poderoso pode ser apenas a primeira forma de mostrar ao adversário a eficiência de suas armas. Quebrar o passe do adversário com serviços que podem variar a força e precisão é uma meta constante dos times, que precisam de muito treino para ajustar o fundamento.

Lançar a bola, colocar a força e direção desejada exigem uma técnica refinada e toda forma de buscar uma evolução é necessária. No Sada Cruzeiro, o técnico Marcelo Mendez cobra muito de seus atletas, principalmente daqueles que são conhecidos por ter um saque potente.

Os pontas Leal, Kadu e Filipe, além do central Isac foram apenas alguns dos que tiveram o técnico 'no pé' em treinamentos desta semana. Antes da bola ser lançada, o treinador indicava onde queria que o jogador saltasse. A proximidade não pressionou os atletas, que mostraram bons resultados, como vem acontecendo nos últimos anos.

"O saque é uma das bases do vôlei. É um fundamento que sempre trabalhamos forte e que é muito importante, principalmente na Superliga. Faz a diferença. Temos que insistir neste aspecto, melhorando itens como potência e direção. Se fizermos bem o nosso papel no saque, iremos colher os frutos em breve", sentencia Mendez, conhecido por sua exigência.

Tecnologia a favor. Para identificar, com precisão, a velocidade dos saques, os assistentes do treinador ficam, no fundo da quadra, com um aparelho que mede a potência dos serviços. A cada pancada na bola que vai para o outro lado da quadra, eles divulgam o número, que logo é anotado, como forma de registro.

Leal e Kadu mostraram que estão com a mão calibrada, sacando a incríveis 110km/h. "O saque é treinado todo os dias. Sempre temos algo a melhorar. É uma preocupação constante nossa, nunca podemos estar satisfeitos. Tendo um bom saque, iremos dificultar o passe do outro lado e poderemos ter mais facilidade em quadra. É preciso aperfeiçoar sempre", indica Leal.

Quem sofre com isso são os responsáveis por 'segurar o rojão' do outro lado, como os líberos Kachel e Serginho. A boa recepção mostrada por ambos deixa claro que a parte defensiva celeste também está em dia. Apesar de já conhecido, o poder do saque celeste promete continuar incomodando os adversários.

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave