Em pesquisa, 48,7% dizem que economia está estagnada

Para outros, 24,4%, a economia está crescendo e, para outros 20,6%, diminuindo

iG Minas Gerais | Da Redação |

A pesquisa MDA, divulgada na manhã desta quarta-feira, 27, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), apontou que, para 48 7% dos entrevistados, a economia brasileira está estagnada. Para outros, 24,4%, a economia está crescendo e para outros 20,6%, diminuindo. Outros 6,3% não souberam ou não responderam a esse questionamento. Em outra pergunta, 48,2% dos entrevistados afirmaram que a economia vai ficar estagnada ou parar até o fim do ano, para outros 30%, a economia vai crescer, e 14,9% vai diminuir no período. Outros 6,9% dos entrevistados não souberam ou não responderam a essa pergunta. A pesquisa ainda registrou que 77,9% dos entrevistados temem o aumento de preços de alguns produtos e serviços após as eleições. Apenas 18,7% afirmaram não temer o chamado "tarifaço" pós-eleitoral. A sondagem perguntou também qual o grau de mudança que o entrevistado deseja no setor da economia brasileira. Ao todo, 67 9% dos entrevistados disseram ser favoráveis a uma mudança total ou parcial. A favor de uma mudança total nas ações, foram 33,1% das pessoas e uma mudança na maioria das ações, outros 34,8%. Outros 23,6% dos entrevistados se disseram a favor da manutenção da maioria das ações e, apenas 5,8% defendem a manutenção total das ações. O levantamento apontou que 35,2% dos entrevistados afirmaram que em relação ao próximo presidente, é a favor de mudar totalmente a forma atual de governar. Outros 34,7% disseram ser a favor da mudança da maioria das ações. Um contingente de 23,5% dos entrevistados disse ser a favor da manutenção da maioria das ações e apenas 5,6% defendem que se mantenha totalmente a forma atual de governar. Em relação ao grau de interesse na eleição para presidente da República deste ano, 28,9% disseram ter pouco interesse, outros 28,5% disseram ter interesse médio, 21,6% nenhum interesse e 20 7% muito interessado na disputa. Ao todo, 77,6% dos entrevistados disseram que não está satisfeito com o modo de se fazer política no Brasil e outros 19,1% está satisfeito. Não souberam ou não opinaram somam 3,3%. Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 24 unidades da federação das cinco regiões, entre os dias 21 e 24 de agosto de 2014. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Leia tudo sobre: eleiçãoeleições2014pesquisaeconomiamdacnt