Novos livros e artigos: muita coisa para ler e aprender

iG Minas Gerais |

Temporada em Belo Horizonte muitíssimo proveitosa. Estou realizando encontros na Escola do Legislativo da Assembleia do Estado de Minas Gerais para debater, com um excelente grupo de assessores e consultores, a história mais ou menos recente de nosso país. Em torno do filme “Anos JK”, de Sílvio Tendler, acompanhado de uma seleção de músicas de época, vamos recordando o que foram os primeiros 15 anos com Getúlio Vargas à frente do governo federal, de 1930 a 1945. Daí prosseguimos com a Constituinte de 1946, o governo do marechal Dutra, a volta de Getúlio, consagrado nas urnas, os “anos dourados” de Juscelino Kubitschek. Passamos pelas turbulências do início dos anos 1960 com Jânio Quadros e João Goulart. Finalmente, revisitamos a ditadura pós-64 e a redemocratização que prossegue até os dias de hoje. A ênfase se situa no confronto entre modelo de desenvolvimento nacionalista versus modelo de desenvolvimento com participação do capital estrangeiro, ascensão do movimento dos trabalhadores no campo e na cidade e paradoxos dos períodos de democracia em nosso país. Ou seja, vamos trafegando diuturnamente entre o respeito aos direitos civis e políticos e a utilização de instrumentos de repressão e censura sobre parcelas significativas da população; o reconhecimento de direitos sociais das amplas massas urbanas ou rurais e, ao mesmo tempo, o largo uso de instrumentos de governança nada democráticos (decretos-lei, medidas provisórias etc.). Pretendo encerrar esse ciclo de estudos com a indagação sobre o que tem sido denominado de “sociedade ou civilização do espetáculo”, em que a busca da satisfação individualista, imediatista e pouco aprofundada tem substituído as antigas utopias de construção de um mundo melhor para todos... Mas falei em novos textos e novos livros. Aqui, agora, a meu lado estão o portentoso estudo de Lira Neto sobre Getúlio Vargas e um monumental “Curso de Direito do Trabalho”, já em sua 13ª edição, do mineiro Maurício Godinho Delgado. Deixei em Brasília o livro em coautoria de Lucília de Almeida Neves Delgado e Jorge Ferreira sobre a República no Brasil, além da coletânea organizada por Daniel Aarão Reis, contendo artigos sobre o golpe civil-militar de 64. Na escrivaninha encontram-se a biografia de Jango, também de Jorge Ferreira, a autobiografia do querido amigo Almino Afonso, que foi ministro do Trabalho de João Goulart, e o compacto, mas precioso, “Cidadania e Direitos do Trabalho” de Angela de Castro Gomes – sem falar na variedade de textos publicados no site da Unisinos, dos quais extraí dois: um sobre a tutela militar constante em nossa história política e outro sobre os resquícios de autoritarismo da atual Constituição de 1988, ambos de Fábio Konder Comparato. Estou tão envolvida e encantada pelo que reestudo que deixo essas sugestões para quem quiser se atualizar e se aventurar pela trilha fascinante de conhecer o Brasil.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave