Horário eleitoral

iG Minas Gerais |

Que coisa horrível esse tal horário eleitoral. Sei que o leitor vai pensar: e por que você assiste? Desligue a televisão, vote em branco ou anule seu voto! Sim, mas isso é o que os vagabundos querem. Sou cidadão, pago impostos e tenho o direito à manifestação, e mantenho acesa a esperança de que um dia ainda vou ver e ouvir um candidato assumir compromisso com prazo marcado, assim: “Prometo acabar com o Imposto de Renda de quem vive de salário, já que salário não é renda, e aumentar com isso, um pouco, o desconto para a Previdência. Assino aqui e agora o compromisso de fazer isso nos seis primeiros meses do meu governo e, se não fizer, de renunciar ao mandato”. Esse candidato continuaria, nesse tom afirmativo, a revelar seu programa, em alguns casos assumindo o compromisso; em outros, dizendo da disposição de fazer, a não ser que os adversários no Congresso Nacional não permitam e, nesse caso, que assumam as consequências dos seus atos: “Mandarei para o Congresso mensagem de emenda constitucional acabando com o instituto da reeleição para os cargos executivos e fixando esses mandatos em cinco anos”. “Sou e serei sempre a favor do Estado mínimo e pretendo estudar a situação das grandes empresas nacionais, começando pela Petrobras – se os ladrões ainda não tiverem roubado tudo –, que deverá mudar sua natureza jurídica de estatal para concessionária, evitando, assim, a ação deletéria de diretorias e conselhos que ganham mais de R$ 90 mil por mês e votam sem examinar os contratos, como fez Dona Dilma na compra da indelével Pasadena”. “Determinarei que, de todos os candidatos a cargos executivos, seja exigida declaração de bens no começo e fim dos mandatos; efetivo rigor nos contratos dos Legislativos, em cujo âmbito existe o chamado “contrato rachado”, prática nojenta e desumana de exigir a metade dos vencimentos dos funcionários contratados para trabalhar em seus gabinetes”. “Tomarei medidas para dar competência aos tribunais de contas do país, transformando-os em câmaras de contas do Judiciário, compostas por desembargadores ou ministros, no caso do TCU, à semelhança das câmaras cíveis e criminais dos tribunais”. “Assumo o compromisso de que os tribunais superiores serão compostos por membros dos tribunais inferiores, selecionados por processo de promoção, inclusive e principalmente o egrégio Supremo Tribunal Federal, cujos ministros sairão de uma lista tríplice elaborada pelos componentes dos tribunais superiores, para evitar que a raposa tome conta do galinheiro”. “Proporei ao Congresso Nacional emenda que exija dos candidatos à Presidência da República a comprovação, no mínimo, de conclusão de curso colegial e de domínio do idioma inglês, além do português, naturalmente, para evitar os analfabetos funcionais. Cumprirei a qualquer custo as dotações orçamentárias. Enfim, comprometo-me a refazer, e não a reformular, dentro do mandato, o Estado Brasileiro.” Quem topa? Tudo depende de nós, eleitores...

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave