Luís Giffoni passeia pelo diverso campo da crônica em novo livro

Escritor mineiro lança “O Acaso Abre Portas”, o quinto de crônicas, hoje à noite na livraria Quixote

iG Minas Gerais | Carlos Andrei Siquara |

Luís Giffoni elege as viagens como um dos temas mais evidentes
branca maria de melo/divulgação
Luís Giffoni elege as viagens como um dos temas mais evidentes
Enquanto está às voltas com a produção de um romance, há cerca de dois anos, Luís Giffoni deixa escapar algumas crônicas, como as que publica no livro “O Acaso Abre Portas”, a ser lançado hoje à noite, na livraria Quixote. Para ele, é clara a natureza distinta de cada uma dessas atividades. “Agora mesmo estou tentando achar a dicção mais apropriada para essa história que estou concebendo. A crônica, ao contrário, é mais urgente, não exige muito isso, até porque precisa respeitar o deadline de um jornal ou revista”, diz. Essa é apenas uma característica das criações neste gênero a que o escritor se debruça novamente e comenta no novo título. Em “Miolos do Ofício”, texto que inaugura a coletânea, por exemplo, ele esmiuça outras etapas do seu processo de escrita.  “O livro ilustra, justamente, as diferentes possibilidades que encontramos no universo da crônica. Ele começa com reflexões sobre o ofício de escrever e permeia essas questões até chegar numa tentativa de definição do que é esse tipo de narrativa”, sintetiza Luís Giffoni. De uma orelha à outra da edição, o autor observa que o leitor vai encontrar diferentes aspectos e temáticas que revelam como, a princípio, qualquer fato ou percepção pode inspirar o nascimento de uma crônica. “O cronista tem que ter um olhar agudo para a realidade. De tudo aquilo que é corriqueiro é possível se arrancar motivos para se escrever. Nós nos baseamos em detalhes que, às vezes, passam despercebidos pelas pessoas”, reflete Giffoni. Dentre os assuntos que acolhe em “O Acaso Abre Portas”, o escritor ressalta as viagens como um dos mais evidentes. “A questão da viagem tem esse espaço porque eu a considero muito importante. Viajar é se relacionar com a alteridade de outras culturas, então envolve aprendizagem e humildade para lidar com o outro. Quando viajamos, aprendemos que o mundo é muito maior do que a gente, e essa é uma experiência extremamente enriquecedora e fundamental para a vida de um escritor”, acrescenta.  “Além disso, eu trato de psicanálise, ciência, e dos comportamentos humanos sempre com humor”, conclui.  Agenda O quê. Luís Giffoni lança “O Acaso Abre Portas” (ed. Abacatte, 80 págs., R$ 31) Quando. Hoje, às 19h30 Onde. Livraria Quixote (rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi) Quanto. Entrada franca

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave