Taxa está 8,5% mais cara e subirá ainda mais em 2015

O diretor da administradora de condomínios GW, Gilberto Vespúcio, explica que, para amenizar os impactos dos reajustes com correção de salários e tarifas, o condomínio precisa economizar

iG Minas Gerais |

No primeiro semestre deste ano, as taxas de condomínio subiram em média 8,5% na região metropolitana de Belo Horizonte, de acordo com levantamento da CMI/Secovi. O vice-presidente da entidade, Leonardo Mota, afirma que no ano que vem o aumento será ainda maior. “Além do impacto do salário mínimo, tem ainda as tarifas públicas, como energia e água, que exercem um enorme peso sobre a composição da taxa de condomínio”, afirma.

Especialistas em energia projetam que, como as distribuidoras terão que pagar por empréstimos e também pelo aumento do uso das térmicas, que são mais caras, o reajuste pode chegar a 25%. “Com essa situação e também com a seca, podemos esperar um reajuste maior para o ano que vem”, destaca Mota. O diretor da administradora de condomínios GW, Gilberto Vespúcio, explica que, para amenizar os impactos dos reajustes com correção de salários e tarifas, o condomínio precisa economizar. “A administradora sugere algumas alternativas, como trocar a iluminação por lâmpadas mais econômicas e usar sensores de presença”, destaca. Segundo Vespúcio, a situação do país fez com que mais condomínios procurassem uma empresa especializada para administar o condomínio.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave